LOADING

Type to search

A onda de protestos na Rússia no dia 5 de maio

Share

No dia 5 de maio (2018), ocorreu pela Rússia uma onda de protestos organizada pelo principal líder da oposição, Alexey Navalny. O objetivo foi demonstrar o descontentamento de uma parcela da população em relação ao governo de Vladimir Putin, o qual foi recém-eleito e está apto a ocupar o cargo da Presidência até 2024. A escolha da data não foi aleatória, visto que a inauguração do novo termo presidencial ocorreu no dia 7 de maio (2018), segunda-feira.

Alexey Navalny, o principal líder da oposição russa

De acordo com Navalny, 53 milhões de russos não votaram no atual Presidente nessas últimas eleições. Afirmou, então: “Eles são pessoas diferentes, com visões diferentes, mas como um todo, eles têm pensamentos e ideias sobre o futuro da Rússia que diferem de Putin. As opiniões deles devem ser ouvidas, porque eles também são cidadãos da Rússia (…) estamos sendo ignorados”. Os manifestantes pediram pela saída de Putin acusando-o de ser um Czar*, visto que este ficará no poder por 24 anos, período mais longo desde o antigo líder soviético, Leonid Brezhnev.

Nesse contexto, deve-se destacar que pela lei do país é imprescindível que os líderes desses movimentos consigam autorização das autoridades locais para a realização das passeatas. Na maioria das cidades, tal licença foi aprovada, porém, em Moscou e em São Petersburgo houve uma discordância entre os organizadores e os governos dos lugares em relação às áreas em que ocorreriam, resultando na não permissão à realização dos protestos. Entretanto, os atos ocorreram de qualquer forma nesses dois grandes centros: em Moscou, em torno de 1.500 pessoas compareceram; enquanto que, em São Petersburgo, foram 2.000 pessoas.

Alexey Navalny, preso durante os protestos de março de 2017

O resultado foi a detenção de vários cidadãos, tanto naquelas cidades quanto em outras onde não foram autorizadas as realizações desses movimentos. O próprio Navalny foi preso em Moscou, junto com outras 657 pessoas, todos esses acusados de atrapalhar a ordem pública, bloquear o trânsito e resistir aos comandos dos policiais. Ao todo, pela Rússia, estima-se que 1.600 pessoas foram detidas. No entanto, no domingo, dia 6 de maio (2018), grande parte já havia sido liberada, inclusive o líder da oposição.

Alexey Navalny foi impedido de se candidatar à Presidência por conta de uma condenação judicial e já foi preso por organizar protestos não autorizados e por prejudicar a ordem pública. Enquanto isso, Putin caminha para a realização do seu 4º mandato presidencial.

———————————————————————————————–

Nota:

* Czar era o termo utilizado para se referir aos líderes monarcas na Rússia Imperial, período esse que perdurou de 1546 até 1917.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Protestos AntiCorrupção em São Petersburgo, em junho de 2017” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:Anti-Corruption_Rally_in_Saint_Petersburg_(2017-06-12)_54.jpg

Imagem 2Alexey Navalny, o principal líder da oposição russa” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:FEV_6460_(cropped1)_(cropped).jpg

Imagem 3Alexey Navalny, preso durante os protestos de março de 2017” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:FEV_1921.jpg

Isabela Joia - Colaboradora Voluntária

Bacharela em Relações Internacionais pelas Faculdades de Campinas (FACAMP) e atual graduanda em Ciências Econômicas pela mesma instituição. Participou da Newsletter do Centro de Estudos de Relações Internacionais (CERI) da FACAMP como redatora e corretora de artigos. Fez sua tese de conclusão de curso sobre as relações diplomáticas entre a Rússia e os Estados Unidos no pós Guerra Fria. Tem grande paixão pela escrita e por assuntos relacionados à Segurança Internacional e Diplomacia.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.