LOADING

Type to search

Share

Nos Estados Unidos, à retomada do crescimento econômico implica em um processo lento e gradual, mas que, observados de maneira crítica, sugerem perspectivas otimistas no médio e longo prazo. Porém, a cautela dos mercados internacionais por conta de uma Europa fragilizada economicamente e a indecisão dos mercados em relação ao imbróglio econômico da Grécia não permitem uma retomada definitiva de matriz macroeconômica.

Entretanto, três conjunturas na esfera da economia interna norte-americana chamam atenção e criam oportunidades de renda, emprego e produtividade para a sociedade de maneira geral. O empreendedorismo por meio das empresas categorizadas como “startups”; a venda de casas usadas e o aumento das taxas de juros pelo Federal Reserve (FED, na sigla em inglês), que ajudam a materializar possibilidades.

No âmbito das empresas “startups” o destaque fica a cargo dos imigrantes latinos que imbuídos do espírito empreendedor contribuíram para o aumento da criação de novas empresas nos Estados Unidos, no ano de 2014. De acordo com a organização sem fins lucrativos Ewing Marion Kauffman, os imigrantes foram responsáveis por 28,5% das novas empresas criadas em território estadunidense, comparado a 25,9% em 2013 e 13,3%, em 1996.

A pesquisa ainda verificou que os novos negócios criaram uma média de 520 empresas por mês para cada 100 mil pessoas. Os números expressivos dialogam com o aumento da população de origem latina nos Estados Unidos. De acordo com o último senso realizado, 12,9% são de origem hispânica, ante 9,3% em 1996.

Outro dado interessante: o aumento das vendas totais de imóveis residenciais subiram 5,1% em maio deste ano, diante de uma taxa anualizada sazonal ajustável de 5,35 milhões de unidades, comparado a 5,09 milhões no mês anterior. Nesse sentido, segundoLawrence Yun, economistachefe da National Association of Realtors (NAR, na sigla em inglês), as vendas registraram oito meses consecutivos de crescimento anual, com uma marca de 9,2% em comparação a maio de 2014. Ele completou afirmando que é o maior patamar, desde novembro de 2009, no auge da crise.

Por fim, as previsões quanto ao cenário dos juros que o FED divulga regularmente indicam a possibilidade de aumento dos juros de curto prazo antes do fim de 2015. Mediante as projeções, há entendimentos de que as autoridades monetárias podem delimitar um aumento entre 0,25 a 0,5 ponto percentual até dezembro, o que resultaria na primeira alteração do nível que está próximo a zero desde dezembro de 2008, quando a política de liquidez adotada pelo Federal Reserve tornou-se prática.

Na administração da economista-chefe do Banco Central NorteAmericano, Janet Yellen, já se indica a redução das taxas de juros de 2016 e 2017 para 0,25 ponto percentual. Tal mudança sinaliza a diminuição do vigor da economia no longo prazo e sua capacidade de suportar juros elevados, muito por decorrência da frustração que análises conjunturais projetam sobre o processo produtivo norte-americano para este ano de 2015.

No comunicado onde foram feitas as projeções econômicas, o FED revisou para baixo as estimativas de crescimento nos Estados Unidos para 2015. Para efeitos de comparação, no mês de março, o Banco Central previu expansão entre 2,3% e 2,7% e agora o crescimento fora revisado entre 1,8% e 2%.

————————————————————————————————

Fonte (Imagem):

https://images.politico.com/global/2014/03/24/140324_wall_street_bull_ap_605.jpg

————————————————————————————————

Fontes Consultadas:

Ver:

http://www.federalreserve.gov/monetarypolicy/1E51E30036CA4B1583ACD363D4B7820F.htm

Ver:

http://www.realtor.org/

Ver:

http://br.wsj.com/articles/SB11021741326745413664304581019783566445632?tesla=y

Ver:

http://br.wsj.com/articles/SB11256044688352624473104581054411934936144?tesla=y

Ver:

http://www.gallup.com/home.aspx

Ver:

http://www.valor.com.br/internacional/4103364/vendas-de-casas-usadas-nos-eua-registram-maior-alta-em-quase-seis-anos

Victor José Portella Checchia - Colaborador Voluntário

Bacharel em Relações Internacionais (2009) pela Faculdades de Campinas (FACAMP), Especialista em Direito Internacional pela Escola Paulista de Direito (EPD) e Especialista em Política Internacional pelo CEIRI (Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais). Atuou em duas grandes multinacionais do setor de tecnologia e na área de Cooperação Internacional na Prefeitura Municipal de Campinas com captação de recursos externos, desenvolvimento de projetos na área econômica e comercial e buscando oportunidades de negócios para o município. Atualmente é Consultor de Novos Negócios na Avanth International em Campinas/SP. Escreve semanalmente sobre América do Norte com foco nos Estados Unidos.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.