LOADING

Type to search

Share

[:pt]

Na última segunda-feira, 25 de julho, José Serra, Ministro das Relações Exteriores do Governo interino do Brasil, reuniu-se com Claudia Ruiz Massieu, Chanceler do México, durante sua visita a este país. Os representes de ambos países anunciaram as negociações acerca do Acordo de Complementação Econômica 53 (ACE 53), que visa melhorar o intercâmbio comercial entre os dois Estados. No início do mês de julho, representantes do Brasil e do México já haviam se reunido em Brasília para a IV Reunião Negociadora para a Ampliação e Aprofundamento do Acordo de Complementação Econômica Nº 53, a fim de revisar e aprofundar os termos que integram o Acordo.

Ademais, a visita do Ministro brasileiro deverá dar continuidade aos trabalhos iniciados em 2015 para o reestabelecimento dos trabalhos da Comissão Binacional México-Brasil, que tem por propósito duplicar o comércio bilateral nos próximos 10 anos. O convênio entre os dois países foi assinado em 2002 e, no presente, contempla cerca de 800 produtos da pauta comercial, da qual fazem parte, aproximadamente, 10 mil produtos. O mercado brasileiro é o principal destino dos produtos mexicanos entre os países da América Latina e do Caribe e o oitavo em relação ao restante do mundo. Segundo o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, o comércio entre Brasil e México passou de US$ 6,705 bilhões, em 2006, para US$ 8,421 bilhões, em 2015.

Flag_of_MexicoDe acordo com declarações das autoridades envolvidas no processo, o Acordo deverá beneficiar ainda mais as duas maiores economias da América Latina. Para José Serra, o acerto tem por objetivo promover um ambiente que facilite o intercâmbio de comércio e serviços entre os dois países. Já Claudia Ruiz Massieu salientou que novas negociações deverão ocorrer até o final de setembro deste ano (2016). Além disso, a Chanceler destacou que o Acordo, além de dar continuidade à natureza estratégica das relações, deverá duplicar a troca comercial entre o México e o Brasil. No entanto, segundo declarações de Ildefonso Guajardo, Secretário de Economia do México, no presente, o eixo de negociações tem girado em torno da ampliação de preferências tarifárias.

Durante a visita de José Serra, foi assinado o Acordo para o Reconhecimento Mútuo da Cachaça e da Tequila, como Indicações Geográficas e Produtos Distintivos do Brasil e do México. Por fim, os representantes dos dois países salientaram ainda a importância das relações Brasil-México, destacando a necessidade de avanços nos setores científicos e educativos, além de agendas de âmbito regional e global.

———————————————————————————————–                    

Imagem1Bandeira do Brasil”(Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bandeira_do_Brasil

Imagem2Bandeira do México”(Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Flag_of_Mexico.svg

 [:]

Jessika Tessaro - Colaboradora Voluntária Júnior

Pós-graduanda do curso de Especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É Graduanda do Curso de Políticas Públicas da UFRGS e bacharel em Relações Internacionais pela Faculdade América Latina Educacional. No presente, desenvolve estudos sobre a geopolítica e a securitização dos Estreitos internacionais e Oceanos.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.