LOADING

Type to search

Aiatolá Ali Khamenei acusa EUA de “Irãfobia”, por bloquear fundos de investimento para o Irã

Share

Após a reaproximação do Irã com os demais países do Sistema Internacional, através de um acordo histórico que levou à suspensão das sanções paralisantes sobre a República Islâmica neste ano (2016), o Líder Supremo do Irã, Aiatolá Ali Khamenei, acusou os Estados Unidos  (EUA), na última quarta-feira (27 de abril), de não cumprir com o Acordo e ainda tentar prejudicar relacionamentos com empresários que visavam investir em Teerã.

Segundo Khamenei, seu país esforçou-se para cumprir as exigências referentes ao Acordo Nuclear, firmado em julho do ano passado (2015), e, portanto, é digno de receber os frutos econômicos por inteiro do Acordo deste ano, sem obstrução do Governo Norte-Americano. A sua implementação permite que os persas volte a ter acesso aos mercados financeiros internacionais, podendo exporta um de seus principais produtos, o petróleo, obter o descongelamento de suas contas e fazer negociações com Bancos estrangeiros. Contudo, o Líder Supremo publicou em seu site oficial que, na prática, não é isso que ocorre, e o Irã ainda sofre com sanções dos EUA que acabam por criar uma “irãfobia”, para que ninguém negocie com ele.

Khamenei ainda ressaltou que formalizou vários pedidos para que Washington removesse obstáculos no setor bancário, e aproveitou para estender seu pedido à União Europeia, Rússia e China para remover as sanções ainda ativas contra o Irã.

Mesmo com o pedido, ainda existem algumas sanções norte-americanas, dentre elas, que os Bancos ainda estão proibidos de fazer negócios com a república iraniana, de forma direta ou indireta. O motivo dado por Washington é de que Teerã ainda é suspeito de apoiar o terrorismo e cometer abusos contra os Direitos Humanos.

No entanto, o Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, comunicou ao Ministro de Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, em Nova York, no dia 23 de abril, que os EUA não atuando contra e nem tem a intenção de proibir as negociações dos Bancos estrangeiros com o Irã, pelo contrário, desde a implementação do Acordo existem várias oportunidades para negociações entre a Instituições Bancárias e País Persa. Kerry ainda acrescentou que “há uma confusão entre os bancos estrangeiros”, mas que “os EUA irá esclarecer isso o mais rápido possível”.

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/lider-supremo-do-ira-sinaliza-que-pode-vetar-acordo-4b47uzjyf8g39s55546evr7yo

Ana Raquel Cordeiro - Colaboradora Voluntária Júnior

Graduada em Relações Internacionais (2014) pela Universidade da Amazônia – PA e profissionalmente atua com gestão de empresas. Áreas de interesse em pesquisa são em Marketing e mídias Internacionais, Conflitos bélicos e étnicos de interesse internacional, dentre outros.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.