LOADING

Type to search

Al Shabaab, no Quênia; Estado Islâmico, na França, e o impacto em massa da infantaria suicida

Share

Um dia após o atentado em Paris, que deixou mais de 120 mortos e dezenas de feridos, o presidente Uhuru Kenyatta enviou condolências para as famílias das vítimas na França e ao presidente francês François Hollande[1]. Nos dois anos recentes, o Quênia enfrentou dois grandes ataques terroristas, assumidos pelo grupo radical AlShabaab, um braço da AlQaeda, muito atuante na Somália e na fronteira norte do Quênia.

Em agosto de 2013, quatro homens armados invadiram o Shopping Westgate, em Nairobi, matando 67 pessoas e espalhando o medo em centenas que estavam no local[2]. Em abril de 2015, 147 estudantes foram mortos e 79 ficaram feridos na Universidade de Garissa, no leste do Quênia[3]. Ambos eventos foram marcados pelas ações do grupo AlShabaab.

Em semelhança ao ocorrido na última sexta-feira, dia 13, em Paris, assumido pelo Estado Islâmico (EI), os atentados são executados por um pequeno grupo de terroristas, como uma infantaria suicida. Tanto o EI quanto o Al Shabaab tem aperfeiçoado este modelo de agressão de baixa tecnologia com impacto em massa.

O grande desafio para os governantes franceses e quenianos nesses atentados consiste na manutenção da coesão social e na contenção das retóricas inflamadas de revolta contra as comunidades muçulmanas nesses países[4]. Contudo, no Quênia, mesmo após os dois grandes atentados, as iniciativas para conter o radicalismo na juventude estão longe de uma posição satisfatória[4].

Por fim, há rumores de que o AlShabaab, mesmo ligado à AlQaeda, poderia estar assumindo alguns laços com o EI desde o ano passado, 2014. De acordo com alguns noticiários da Somália, comandantes do AlShabaab estariam jurando fidelidade formalmente ao EI. Sem dúvidas, esta aliança traria consequências duríssimas para a segurança regional[4].

———————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://www.yummymummyclub.ca/sites/default/files/styles/large/public/terrorism.jpg?itok=xfhFGl0V

———————————————————————————————–

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://allafrica.com/stories/201511150084.html

[2] VerCEIRI NEWSPAPER”:

http://jornal.ceiri.com.br/um-ano-do-ataque-no-shopping-westgate/

[3] VerCEIRI NEWSPAPER”:

http://jornal.ceiri.com.br/o-dilema-multidimensional-do-terrorismo-e-o-massacre-aos-universitarios-quenianos/

[4] VerALL AFRICA”:

http://allafrica.com/stories/201511150141.html

Tags:
João Antônio dos Santos Lima - Colaborador Voluntário

Mestre em Ciência Política na Universidade Federal de Pernambuco e graduado em Relações Internacionais na Universidade Estadual da Paraíba. Tem experiência como Pesquisador no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) no projeto da Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi). Foi representante brasileiro no Capacity-Building Programme on Learning South-South Cooperation oferecido pelo think-tank Research and Information System for Developing Countries (RIS), na Índia; digital advocate no World Humanitarian Summit; e voluntário online do Programa de Voluntariado das Nações Unidas (UNV) no projeto "Desarrollar contenido de opinión en redes sociales sobre los ODS". Atualmente, mestrando em Development Evaluation and Management na Universidade da Antuérpia (Bélgica) e Embaixador Online do UNV na Plataforma socialprotection.org.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!