LOADING

Type to search

Apesar de sua censura a internet, líder iraniano torna-se usuário do Instagram

Share

Depois de ter lançado com sucesso sua conta no “Twitter” – quase 3 mil tweets, mais de 4 mil seguidores e sem seguir ninguém – o aiatolá e líder supremo do Irã, Seyed Ali Khamenei, tornou-se recentemente um usuário do “Instagram”, um aplicativo para celular que permite aos usuários tirar uma foto, aplicar um filtro para ela e depois compartilhá-la em uma variedade de redes sociais.

O “Instagram” foi criado* por Kevin Strom e Mike Krieger, engenheiros do ramo da informática e das telecomunicações, na Califórnia, em 2010. A utilização do aplicativo por parte de Khamenei contrasta com situação oficial das relações diplomáticas de Teerã e Washington, uma vez que sanções dos Estados Unidos proíbem que produtos norte-americanos sejam comercializados no Irã.

 

Com mais de 900 seguidores e 7 fotos postadas, o líder religioso divulga algumas de suas atividades oficiais, como visitas a laboratórios de pesquisa biológica em Teerã e preces em mesquitas iranianas. As fotos refinam sua conta no “Twitter@khamenei_ir, que divulga o trabalho do líder e também são compartilhadas em seu site oficial (http://khamenei.ir/).

Há três anos, os serviços de internet foram desligados no país, após iranianos usarem o “Twitter” e outras redes sociais para coordenar protestos em massa e se manifestarem contra a repressão do Governo. Apesar da censura, agora, os líderes responsáveis pelo bloqueio estão entrando no “Twitter” e outras redes para compartilhar suas fotos.

O Irã foi o primeiro país do “Médio Oriente” a introduzir a Internet, mas ainda é necessário obter autorização do Estado para que seja possível acessar à web. Estimativas** apontam que há cerca de 23 milhões de cibernautas no país, um número considerável e cada vez mais difícil de controlar. Após o governo ter bloqueado o acesso ao “Google” e a vários serviços de e-mail, em março deste ano (2012) o ministro das Comunicações, Reza Taghipour, confirmou a criação de uma “Rede Alternativa à Internet.

Teresa de Almeida Silva, professora do “Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa” (ISCSP), afirma que esta medida “permite ao Irã controlar a informação e difundir o que quiser dentro do país sem que o exterior saiba”**, o que pode aumentar ainda mais a desconfiança do mundo ocidental em relação ao país. 

———————————————

Fontes Consultadas:

* Ver:

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI6050224-EI308,00-Ali+Khamenei+amplia+atividade+online+com+conta+no+Instagram.html

** Ver:

http://p3.publico.pt/actualidade/media/2430/irao-vai-ter-uma-rede-alternativa-interne

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!