LOADING

Type to search

Share

A emboscada a militares estadunidenses na região de Tillabery, Níger, no último 4 de outubro de 2017, resultando na morte de quatro soldados Boinas Verdes, ainda gera questionamentos sobre a política externa dos EUA na África.

US. Marines treinam combatentes nigerinos contra Al-Qaeda baseada no Saara

O senador republicano pela Carolina do Sul, Lindsey Graham, admitiu desconhecer sobre os cerca de 800 militares baseados no Níger, mas afirmou: “Eles estavam lá para defender a América. Eles estavam lá para ajudar os aliados. Eles estavam lá para impedir que outra plataforma ataque a América e nossos aliados”.

Com base em informações oficiais, retransmitidas a agências de notícias, as tropas dos EUA estão no Níger para ajudar a fortalecer um parceiro militar, algo recorrente no continente desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

Nesse quadro, o Departamento de Defesa (DoD, na sigla em inglês) pretende redirecionar a estratégia antiterrorismo para a região, ao iniciar a expansão e renovação da base em Agadez, cidade ao norte do Níger, e que serviria para o lançamento de Drones armados, fato que poderia aumentar ações militares diretas na região.

Para especialistas, a ação estadunidense no continente africano para treinar e equipar os militares, criando aptidão, tinha um cunho preventivo, supondo que Estados fracos podem se tornar atrativos ao desenvolvimento de grupos terroristas.

Coronel Eric Bometon, Comandante do Destacamente Aéreo Francês (DetAir) no Centro de Operações Anti-Terrorismo no Sahel, apresenta um Drone Reaper comprado pela França

Como o Sahel, região árida abaixo do Saara, tem recebido aumento notável da atividade jihadista, os mesmos especialistas afirmam que a ameaça é concreta, porém no âmbito regional no norte e oeste do continente, mas com mínimas possibilidades de um ataque direto aos Estados Unidos.

Ainda de acordo com especialistas, a ascensão da Al-Qaeda do Magreb Islâmico (AQMI) em 2007 foi resultado da exploração da população pobre e das tensões locais, em que desenvolveu uma agenda local e regional, combinadas com uma visão transnacional que visava os interesses ocidentais na região, mas que raramente se estendia para além da África.

Por fim, a presença dos EUA, vista por muitos como ameaça para a estabilidade regional, foi usada para justificar o aprofundamento da cooperação militar dos EUA na África, em especial no Níger, onde as operações expandiram-se após 2011 e 2012, quando o AQMI ampliou suas ações e deu nova urgência aos esforços de contraterrorismo dos EUA e da França.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1Um Soldado francês do 92º Regimento de Infantaria faz parte da coalizão de combate ao terrorismo na região do Sahel, África Ocidental” (Fonte):

http://www.gettyimages.com/license/166408275

Imagem 2US. Marines treinam combatentes nigerinos contra AlQaeda baseada no Saara” (Fonte):

http://www.gettyimages.com/license/51405008

Imagem 3Coronel Eric Bometon, Comandante do Destacamente Aéreo Francês (DetAir) no Centro de Operações AntiTerrorismo no Sahel, apresenta um Drone Reaper comprado pela França” (Fonte):

http://www.gettyimages.com/license/476799320

Victor José Portella Checchia - Colaborador Voluntário

Bacharel em Relações Internacionais (2009) pela Faculdades de Campinas (FACAMP), Especialista em Direito Internacional pela Escola Paulista de Direito (EPD) e Especialista em Política Internacional pelo CEIRI (Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais). Atuou em duas grandes multinacionais do setor de tecnologia e na área de Cooperação Internacional na Prefeitura Municipal de Campinas com captação de recursos externos, desenvolvimento de projetos na área econômica e comercial e buscando oportunidades de negócios para o município. Atualmente é Consultor de Novos Negócios na Avanth International em Campinas/SP. Escreve semanalmente sobre América do Norte com foco nos Estados Unidos.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!