LOADING

Type to search

Aumento da produção de petróleo na Rússia

Share

No final de 2016, os membros* da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) juntamente com outras dez nações produtoras desse óleo, lideradas pela Rússia, concluíram um acordo internacional de redução de produção petrolífera em torno de 1,8 milhão de barris por dia, no intuito de reduzir o excedente na oferta mundial e, ao mesmo tempo, acarretar uma elevação do preço dessa commodity**. O acordo, que entrou em vigor no início de 2017, e iria perdurar até o final de 2018, teve sua efetividade comprovada, com índices crescentes no valor do barril que, em janeiro de 2016, atingiu seu mais baixo nível nos últimos dez anos (30,8 dólares) e foi gradualmente se recuperando até atingir valores acima dos 80 dólares por barril.

Gráfico da evolução do preço do barril de petróleo

Como os preços do barril de petróleo são balanceados pelo nível de produção mundial, cresce uma preocupação por parte da comunidade internacional, por conta da desestabilização desses valores, ou seja, de um aumento demasiado devido às instabilidades político-econômicas ocorridos nos últimos meses. Tais temores se baseiam na crise política na Venezuela, que acarretou numa diminuição drástica nos investimentos internos na indústria petrolífera, fazendo com que sua produção fosse reduzida em mais de 50% desde os anos 2000, aliada ao impasse político sobre o acordo nuclear entre Estados Unidos e Irã, o que possivelmente acarretará em sanções econômicas e uma queda na exportação de petróleo pela nação persa.

Como estas duas nações são importantes na oferta mundial de petróleo, analistas alertam que com essa possível diminuição na produção e, consequentemente, uma escalada dos preços da commodity, poderá ser afetado o crescimento da economia global, sendo que, um dos efeitos mais diretos que um aumento pode ter é fazer a inflação disparar, forçando os bancos centrais a aumentarem as taxas de juros mais rápido do que tinham previsto.

Plataforma de petróleo

No intuito de elaborar uma contramedida a esses aumentos, a Federação Russa (terceiro maior produtor de petróleo do mundo e maior exportadora fora da OPEP) participou do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, entre os dias 24 e 26 de maio de 2018, onde líderes das potências econômicas emergentes e representantes de diversas organizações se reuniram para identificar e deliberar sobre os desafios mais importantes com os quais a Rússia, os mercados em desenvolvimento e o mundo em geral se deparam.

Nesta reunião, os ministros dos setores de energia, Khalid Al-Falih e Alexander Novak, da Arábia Saudita e da Rússia, respectivamente, discutiram um plano de aumento de produção em até 1 milhão de barris de petróleo por dia pelos produtores dotados de capacidade excedente, para ser adotado nos próximos meses. Esse encontro está gerando expectativas positivas para o mercado, onde as cotações já demonstraram, na semana seguinte ao acordo, uma queda para 74,51 dólares por barril (cotação de 29/05/2018), segundo fontes da Administração de Informações sobre Energia dos EUA (US Energy Information Administration). A capacidade de produção de petróleo russo atinge atualmente em torno de 11 milhões de barris/dia, segundo dados do Ministério de Energia da Federação Russa, e será aumentada conforme resultado das negociações que serão realizadas no dia 22 de junho, em Viena, juntamente com a OPEP e outros países convidados.

———————————————————————————————–

Notas:

* Angola, Argélia, Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes Unidos, Equador, Gabão, Iraque, Irã, Kwait, Líbia, Nigéria e Venezuela.

** Qualquer bem em estado bruto, geralmente de origem agropecuária ou de extração mineral ou vegetal, produzido em larga escala mundial e com características físicas homogêneas, seja qual for a sua origem, e que é destinado ao comércio externo mundial.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Plataforma de petróleo russa” (Fonte):

https://ru.sputniknews.kz/economy/20161209/1181807/bozumbaev-o-cenah-na-neft-chem-vyshe-tem-luchshe.html

Imagem 2 Gráfico da evolução do preço do barril de petróleo” (Fonte):

https://www.indexmundi.com/pt/pre%C3%A7os-de-mercado/?mercadoria=petr%C3%B3leo-bruto-brent&meses=120

Imagem 3 Plataforma de petróleo” (Fonte):

https://images.pexels.com/photos/87236/pexels-photo-87236.jpeg?auto=compress&cs=tinysrgb&h=350

Edson José de Araujo - Colaborador Voluntário

Bacharel em Ciências Econômicas pelo Centro Universitário Fundação Santo André (CUFSA) e pós-graduado em Economia de Empresas pela FEA-USP. Especialista em finanças (FP&A) com mais de 20 anos de experiência em empresas multinacionais na área de Planejamento Financeiro e Controladoria com certificação 6Sigma Green Belt. Atuou durante 7 anos como educador no Projeto Formare da Fundação Iochpe ministrando aulas sobre Ética, Sociedade, Política e Democracia. Atualmente é pós-graduando em Política e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). Tem grande interesse nas áreas de Geopolítica, Relações Internacionais e Economia Política Internacional.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.