LOADING

Type to search

Ban Ki-Moon: Inspirar-se em Mandela é a solução para Síria, República Centro África e República Democrática do Congo

Share

Ban Ki-Moon, “Secretário-Geral das Nações Unidas”, pediu em discurso que líderes mundiais sigam o exemplo de Nelson Mandela. A declaração do Secretário-Geral, feita na conferência de fim de ano, chamou a atenção para as responsabilidades moral e política dos líderes em relação a diversas partes do mundo, sobretudo o “Oriente Médio” e o “Continente Africano”. Ele expressou a preocupação por mudanças, principalmente na Síria, na “República Centro Africana” (RCA) e na “República Democrática do Congo” (RDC).

A primeira parte do seu comunicado à imprensa foi devotada à questão síria, para em seguida falar sobre os outros dois países. Ban Ki-Moon alertou para os mais de cem mil mortos nos últimos 3 anos desde que irromperam os conflitos na Síria, além das 8 milhões de pessoas que tiveram de abandonar os seus lares, incluindo 2 milhões de sírios que buscaram refúgio em outros países[1]. Lembrou que a Síria é o país em que as ações da ONU têm sido dificultadas das mais diversas maneiras pelo Governo[2], levando a que até mesmo o pão tenha se tornado um produto extremamente escasso (com os preços atingindo um aumento de 500% em algumas áreas)[3], mas que também é o lugar onde se terá o maior investimento em ajuda humanitária promovido pela Organização, no montante de 6,5 bilhões de dólares[4].

Em seguida, ele iniciou sua fala sobre o “Continente Africano” já afirmando que 2013 foi o ano em que a “República Centro Africana” mergulhou no caos. O país tem, segundo ele, cerca de 600 mil deslocados, dos quais 70 mil estão refugiados em outros países. Pediu para que os diversos líderes no país tentem entrar em consenso, evitando polarizações políticas ou religiosas. Falou ao mesmo tempo em que o Presidente da RCA, de orientação muçulmana, já se vê negociando com as milícias cristãs[5].

Por outro lado, a “Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura” (FAO) alerta para a subida nos preços dos alimentos (alguns alimentos já subiram em mais de 70%) e para a possibilidade de colapso da produção rural no ano vindouro (2014)[6]. Ademais, a FAO afirma que cerca de 1,29 milhão de pessoas, 40% da população, precisa de ajuda alimentar urgente[7].

No que diz respeito à “República Democrática do Congo”, Ban Ki-Moon felicitou os avanços atingidos, graças à parceria com o “Banco Mundial” (BM) para promover a paz na região, e também graças aos novos equipamentos utilizados na região (os drones[8]). Além disso, felicitou o Acordo assinado na última quinta-feira, dia 12 de dezembro, pelo Governo e pelos milicianos do grupo M23, em Kampala, para por fim às hostilidades no leste do país. Apesar disso, nos dois dias seguintes, mais de 20 pessoas foram mortas[9].

Tendo em mente essas questões e a esperança de mudanças, a lembrança de Nelson Mandela (Madiba) por parte do Secretário-Geral é sem dúvida meritória. Mandela lutou pelo fim do Apartheid, regime de opressão do negro pelo branco na “África do Sul”. Mas, ao contrário de muitos dos seus companheiros, não defendia que os brancos passassem a ser oprimidos quando aquele regime chegou ao fim. Em suas palavras: “Never, never and never again shall it be that this beautiful land will again experience the oppression of one by another (“nunca, nunca e nunca novamente deverá essa linda terra experimentar a opressão de um pelo outro”)[10].

Em síntese, Ban Ki-Moon chamou a atenção de líderes das grandes potências e de líderes locais para a atitude de se lutar por um ideal, sem se esquecer da responsabilidade de criar um presente e um futuro de paz duradoura.

————————————

Imagem (Fonte):

http://p2.trrsf.com/image/fget/cf/619/464/images.terra.com/2013/12/09/ban-mandela-rtr.JPG

————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.un.org/sg/offthecuff/index.asp?nid=3207

[2] Ver:

http://www.reuters.com/article/2013/12/15/us-syria-crisis-aid-insight-idUSBRE9BE03D20131215

[3] Ver:

http://www.bbc.co.uk/news/world-middle-east-25397140

[4] Ver:

http://www.bbc.co.uk/news/world-middle-east-25398012

[5] Ver:

http://abcnews.go.com/International/wireStory/central-african-repubic-president-negotiate-21233973

[6] Ver:

http://www.scoop.co.nz/stories/WO1312/S00285/strife-torn-central-african-republic-faces-food-crisis.htm

[7] Ver:

http://expresso.sapo.pt/conflito-na-republica-centro-africana-deixa-milhoes-em-risco-de-fome-fao=f846476

[8] Ver:

http://www.jornal.ceiri.com.br/rd-congo-milicia-financiada-por-trafico-de-ouro-preocupa-onu/

[9] Ver:

http://www.bbc.co.uk/news/world-africa-25410876

[10] Ver:

http://www.africa.upenn.edu/Articles_Gen/Inaugural_Speech_17984.html

Jaime Almeida - Colaborador Voluntário

Bacharel em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Jorge Amado (2009) onde coordenou o Observatório de Relações Internacionais e apresentou, como trabalho de conclusão de curso, a monografia "O colapso de Estados e a sociedade internacional: causas, consequências e a questão somali". Bacharel em Direito pela Universidade Católica do Salvador (2011). Bacharelando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Bahia. Advogado. Trabalhou no Consulado do Uruguai. Possui experiência em Organizações Não-Governamentais. Foi Professor de Língua Inglesa. Tem vivência na França e na África do Sul. No CEIRI NEWSPAPER colabora sobretudo com temas relacionados ao continente africano.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.