LOADING

Type to search

Share

Durante a última semana do mês de novembro, Keith Banerjee, secretário da Embaixada do Canadá para Assuntos Comerciais, e Alex Krell, Delegado Comercial do Consulado Geral do Canadá em São Paulo reuniram-se com José Raimundo Braga Coelho, presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB) e José Monserrat Filho, chefe da Assessoria de Cooperação Internacional, para tratar sobre a cooperação com o Brasil na área espacial.

O encontro tinha como propósito inicial apresentar o novo secretário Keith Banerjee, que chegou recentemente ao Brasil. No entanto, o diálogo entre as partes fluiu para além de uma visita de cortesia, passando a tratar sobre planos e ideias para atividades futuras na área da cooperação espacial entre os dois países[1].

As partes agendaram uma videoconferência para o dia 25 de fevereiro de 2015 entre os diretores e técnicos das agências espaciais do Brasil e do Canadá, além de empresas e instituições interessadas de ambos os países em desenvolver um projeto de cooperação. Esse Projeto deve tratar sobre satélites radar de abertura sintética, que completam a função dos satélites electro-ópticos, graças à capacidade de “enxergar” através das nuvens e da copa das árvores no monitoramento das florestas[2].

Ademais, também ficou estabelecida a promoção, em meados do próximo ano, do 2º Workshop Missão Espacial Canadense no Brasil, que deverá se realizar no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). Ambas as partes decidiram ainda fomentar a cooperação na área de formação de especialistas, com a ida de pós-graduandos brasileiros para o Canadá e a vinda de professores canadenses do curso de engenharia espacial para o Brasil[3].

Cabe destacar que Agência Espacial Brasileira tem se dedicado a incrementar a cooperação internacional buscando promover a capacitação tecnológica do setor espacial a fim de atender às necessidades brasileiras. Desse modo, o governo tem procurado fomentar acordos bilaterais e iniciativas que levem ao desenvolvimento de programas espaciais e ainda a obtenção de novas tecnologias[4].

No mês de outubro, por exemplo, José Monserrat Filho, recebeu na Agência Espacial Brasileira membros da Embaixada dos Estados Unidos da América a fim de discutir pontos de interesse comum para o avanço da cooperação nesse segmento entre os dois países. Na época, os dois chegaram a destacar a importância do fomento entre os centros de pesquisa e universidades para cooperação[5]. Alguns especialistas apontam que a cooperação nessa área deve crescer ainda mais, devido ao fomento do Governo brasileiro no programa Ciências Sem Fronteiras[6]. O Brasil ainda tem projetos de cooperação espacial com outros países, como Alemanha, Argentina, Bélgica, Chile, China, Colômbia, França, Índia, Itália, Peru, Rússia, Ucrânia, Venezuela e com a Agência Espacial Europeia (ESA)[7].

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

https://twitter.com/portalbrasil/statuses/538115077581570048

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.aeb.gov.br/brasil-e-canada-planejam-cooperacao-espacial-para-2015/

[2] Ver:

Idem

[3] Ver:

Idem.

[4] Ver:

http://www.aeb.gov.br/cooperacao-internacional/

[5] Ver:

http://brazilianspace.blogspot.com.br/2014/10/brasil-e-eua-podem-ampliar-cooperacao.html

[6] Ver:

Idem.

[7] Ver:

http://www.aeb.gov.br/cooperacao-internacional/

Jessika Tessaro - Colaboradora Voluntária Júnior

Pós-graduanda do curso de Especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É Graduanda do Curso de Políticas Públicas da UFRGS e bacharel em Relações Internacionais pela Faculdade América Latina Educacional. No presente, desenvolve estudos sobre a geopolítica e a securitização dos Estreitos internacionais e Oceanos.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.