LOADING

Type to search

Brasil e Colômbia criam Comissão Binacional de Defesa

Share

Os ministros da Defesa do Brasil, Celso Amorim, e da Colômbia, Juan Carlos Pinzón Bueno, se reuniram em Brasília na última terça-feira (17 de janeiro) para discutir melhorias na troca de informação na área da Defesa de ambos os países, ampliando uma parceria regional fronteiriça já existente.

 

Na reunião, foi criada a “Comissão Binacional de Defesa”, que tem como objetivo aumentar a troca de informações entre os órgãos de Inteligência dos países, especialmente sobre a Amazônia, e as perspectivas regionais em matéria de Defesa. Ainda não há informações sobre como a Comissão deverá funcionar. As “Forças Armadas” de cada país deverão se reunir nos próximos dois meses para discutir os detalhes do projeto de cooperação.

Devemos seguir trocando informação de inteligência entre os governos, discutir um centro integrado de informação para a Amazônia e analisar sob uma perspectiva mais regional o crime transnacional. Estamos centrados em proteger o cidadão e negar a mobilidade nos espaços em zonas fronteiriças”*, afirmou Pinzón.

Amorim e Pizón se encontrarão em maio de 2013 em Cartagena, na Colômbia, devido à reunião do “Conselho de Defesa” da “União de Nações Sul-Americanas” (Unasul), e irão apresentar os desdobramentos da Comissão.

De acordo com Amorim, “Nossa visão no continente é de cooperação. Dissuasão é uma visão para fora. Se temos de defender nossos recursos naturais, temos de ter essa visão”*. Na reunião, os ministros ainda discutiram a possibilidade de fortalecer a indústria de defesa no âmbito da América do Sul e a construção em conjunto de um navio de patrulha.

Fala-se muito da integração das cadeias produtivas do continente. Que isso passe também para a área de defesa. Estamos trabalhando em projetos importantes, como a compra de aviões brasileiros pelas forças armadas da Colômbia e, possivelmente, de cargueiros KC-390. O Brasil também tem interesse em lanchas fluviais colombianas”* (…) “Temos um projeto conjunto de patrulha fluvial.  É um projeto comum [de desenvolvimento da tecnologia] para depois fabricar o navio em cada pais […]”**, afirmou Amorim*.

Em fevereiro, uma missão conjunta da Marinha e do Exército irá à Colômbia para examinar as lanchas e verificar se o equipamento preenche os requisitos e às necessidades brasileiras. Além das compras, ambos os países examinaram a elaboração de um “Projeto Conjunto” de construção de navio fluvial e de veículos aéreos não tripulados.

Pizón informou, ainda, que pretende formar uma cúpula binacional de empresários para formar alianças estratégicas e apresentar alternativas de geração de emprego no setor.

———–

Fontes:

* Ver:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/1035568-brasil-e-colombia-criam-comissao-para-fortalecer-defesa-de-paises.shtml *

** Ver:

http://g1.globo.com/politica/noticia/2012/01/brasil-e-colombia-negociam-compra-de-equipamentos-militares.html **

Tags:
Jean Bortoleto - Colaborador Voluntário Júnior 2

Bacharel em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Atua no CEIRI NEWSPAPER como colaborador para assuntos da América Latina e com a geração de debates e ações sobre política, economia e meio ambiente em ONG's. Profissionalmente atua com internacionalização de empresas nos EUA.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.