LOADING

Type to search

Canadá anuncia programa bilateral para empresas brasileiras

Share

No decorrer da presente semana, ocorre em São Paulo e em Porto Alegre a primeira edição doBrasil-Canadá Tech Week: Fostering Innovation and Commercialization”. De acordo com o Consulado do Canadá no Brasil, o evento tem por objetivo fomentar a parceria Brasil-Canadá para o desenvolvimento de pequenas e médias empresas, particularmente por meio do “Bi-Lateral Exchange Program[1]. Segundo autoridades canadenses, a ideia é promover a internacionalização de startups dos dois países que desenvolvam tecnologia e inovação, especialmente na área de software.

Esse é o primeiro programa que se compromete a dar oportunidade às empresas brasileiras para entrarem no mercado  canadense, em uma troca bilateral dentro de hubs de tecnologia[2]. O programa é uma parceria entre a empresa brasileira-canadense Project 1, o Canadian Digital Media Network (CDMN), uma rede de centros de excelência em tecnologia e inovação apoiada pelo Governo do Canadá e os Governos das províncias canadenses de Ontário e Quebec[3].

O Estado de Ontário, cuja capital é Toronto, abriga o maior polo de  Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) do Canadá. Assim, Ontário é responsável por 37% do PIB nacional e é onde estão quase 50% de todos os empregados em alta tecnologia, serviços financeiros e outros setores de conhecimento intensivo[4].

Vale destacar que as relações comerciais entre Brasil e Canadá vem crescendo nos últimos anos, sobretudo nas áreas de educação, ciência, tecnologia, inovação e investimento. Atualmente, o Brasil é o 12º maior destino das exportações canadenses e 13º maior exportador para o Canadá[5]. No ano de 2011, os dois países criaram um Comitê Misto para cooperação em ciência, tecnologia e inovação. Esse Comitê é composto por representantes de ambos governos e membros da academia e da indústria; foram estabelecidos também grupos de trabalho para conduzir iniciativas em 5 setores prioritários (TIC, ciências biológicas, energia limpa/tecnologia verde, tecnologias oceanográficas e nanotecnologia)[6].

Dessa maneira, o “Bi-Lateral Exchange Program” é visto pelas autoridades com grande otimismo, para fomentar as relações comerciais dos dois países. Conforme declarou Stéphane Larue, Cônsul Geral do Canadá no Brasil, “temos um mercado interessante para brasileiros com uma população muito conectada e com renda elevada[7]. Ainda de acordo com Laure, “o Canadá oferece a empresas brasileiras uma alternativa de baixo custo na América do Norte, com uma força de trabalho altamente qualificada e inovadora, impostos corporativos muito mais baixos que os principais países concorrentes, forte apoio à inovação e pesquisa, fácil acesso aos mercados internacionais e ambiente ideal para fazer negócios[8].

Essa parceira pode ser um caminho para as empresas brasileiras entrarem no mercado dos Estados Unidos da América (EUA). Segundo Ricardo Sodré, CEO da Project-1, “vemos o Canadá como o melhor destino para uma startup entrar na América do Norte e ficar pronta para ir aos EUA[9]. O cônsul canadense Todd Barrett assinalou quenós temos um acordo de livre comércio e as trocas comerciais entre Canadá e EUA atingem mais de US$ 700 bilhões por ano[10]. Por fim, Barrett enfatizou que “é hora de construir uma melhor compreensão dos ecossistemas brasileiros e canadenses para prever futuras oportunidades, desafios e cooperação. Nossa meta é incentivar a interação entre empresas dos dois países para que compartilhem sinergias e complementaridades na promoção do empreendedorismo e da inovação[11]. Neste mês, quatro das nove empresas brasileiras que irão participar da primeira fase do programa irão ao Canadá onde poderão utilizar as instalações da CDMN por três meses para fazer negócios.

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://conexmar.blogspot.com.br/2013/07/o-comercio-bilateral.html

—————————————————————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/highlights-faits/2014/Programa_Bilateral-por.aspx?lang=pt

[2] Ver:

Idem.

[3] Ver:

http://www.segs.com.br/info-e-ti/10745-canada-anuncia-programa-bilateral-para-empresas-brasileiras-em-semana-de-tecnologia.html

[4] Ver:

http://blogs.estadao.com.br/start/brasil-e-canada-criam-programa-de-intercambio-para-startups/

[5] Ver:

Idem.

[6] Ver:

http://www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/highlights-faits/2014/Programa_Bilateral-por.aspx?lang=pt

[7] Ver:

http://blogs.estadao.com.br/start/brasil-e-canada-criam-programa-de-intercambio-para-startups/

[8] Ver:

http://www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/highlights-faits/2014/Programa_Bilateral-por.aspx?lang=pt

[9] Ver:

http://corporate.canaltech.com.br/noticia/startups/Brasil-e-Canada-iniciam-intercambio-de-startups/

[10] Ver:

http://blogs.estadao.com.br/start/brasil-e-canada-criam-programa-de-intercambio-para-startups/

[11] Ver:

http://www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/highlights-faits/2014/Programa_Bilateral-por.aspx?lang=pt

Jessika Tessaro - Colaboradora Voluntária Júnior

Pós-graduanda do curso de Especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É Graduanda do Curso de Políticas Públicas da UFRGS e bacharel em Relações Internacionais pela Faculdade América Latina Educacional. No presente, desenvolve estudos sobre a geopolítica e a securitização dos Estreitos internacionais e Oceanos.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!