LOADING

Type to search

CEIRI na Rio+20 – Conceitos debatidos na “Conferência Rio + 20”

Share

O termo “Desenvolvimento Sustentável”, popularizado na “ECO 92”, ganhou às ruas, grandes empresas e setores governamentais que, desde então, vem descobrindo como transformar o conceito em uma realidade cada vez mais presente, sem prejudicar o crescimento das organizações e países. A “Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável”, ou “RIO + 20”, ocorre entre os dias 13 a 22 de junho, e se apresenta como a maior conferência da “Organização das Nações Unidas” (ONU) já realizada e busca as respostas para o maior problema social e ambiental que o planeta enfrenta: Como garantir o acesso de 7 bilhões de pessoas a bens de consumo básicos, como água, alimentação, energia e saneamento, básico sem comprometer o bem estar das gerações futuras?

 

A presidente Dilma Rousseff fez o discurso de inauguração do Pavilhão Brasil, que tem o objetivo de apresentar o progresso do desenvolvimento sustentável brasileiro, na manhã da última quarta-feira (13 de junho). Antes mesmo de dar as boas-vindas aos cerca de 193 Diplomatas e “Chefes de Estado” presentes na Conferência, afirmou ser possível o crescimento apenas por meio da sustentabilidade e que “os três patamares do País são: incluir, conservar e crescer”*.

Declarou: Nós não concordamos que o respeito ao meio ambiente só se dê em momentos de economia forte. Sobretudo em momentos de crise precisamos ter consciência de que não existe crescimento que não seja sustentável. Vinte anos depois da primeira Conferência, temos de dar outra partida naquele processo. Queremos provar que o mundo que consideramos possível ainda precisa de um alerta*.

E continuou a Presidente: “Meio ambiente não é adereço. Queremos mostrar durante a Rio+20 que tornamos isso possível”, afirmou. “Não consideramos que o respeito ao meio ambiente só se dá em fase de expansão do ciclo econômico. Pelo contrário, um posicionamento pró-crescimento, de preservar e conservar, é intrínseco à concepção de desenvolvimento, sobretudo diante das crises*.

Deve-se destacar que a defesa de políticas de proteção ao meio ambiente e desenvolvimento social, mesmo em tempos de crises, prevaleceu. No dia 20, Dilma deve voltar à Conferência, aonde se reunirá com outros “Chefes de Estado”, até o dia 22, último dia do Evento.

No primeiro dia da “RIO+20”, ainda com alguns estandes não prontos, como o da China e da Turquia, o Chefe brasileiro de negociação da Conferência, Luiz Figueiredo, informou sobre a proposta da criação de um “Fundo para o Desenvolvimento Sustentável”, de US$ 30 bilhões por ano, que já faz parte da rodada final de negociações, iniciada em 14 de junho,  no Rio de Janeiro.

O equilíbrio de poder no planeta mudou desde a “ECO 92” e hoje temos países em desenvolvimento, como Brasil e China, atuando como grandes atores globais, capazes de definir novas alternativas à questão do desenvolvimento sustentável.

Outro conceito muito debatido no primeiro dia da Conferencia, foi o de “economia verde”, algo que se busca entender o que seja. O conceito difere muito entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, causando grande impasse sobre ele, logo, sobre sua correta aplicabilidade para a definição de Acordos.

Um Grupo bastante forte nas negociações é o G77, atualmente composto por 130 países, o qual agrupa quase toda “América Latina”, África e as nações do “Sul da Ásia”. Ele se associou à China, para poder negociar em bloco durante a “Rio+20”, e já entra como “grupo de apoio” à proposta de criação do Fundo para o desenvolvimento sustentável.

——————-

Fontes:

http://invertia.terra.com.br/sustentabilidade/rio20/noticias/0,,OI5836926-EI20323,00-Apos+horas+negociadores+nao+conseguem+definir+economia+verde.html

Tags:
Jean Bortoleto - Colaborador Voluntário Júnior 2

Bacharel em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Atua no CEIRI NEWSPAPER como colaborador para assuntos da América Latina e com a geração de debates e ações sobre política, economia e meio ambiente em ONG's. Profissionalmente atua com internacionalização de empresas nos EUA.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!