LOADING

Type to search

Chanceleres do Brasil e do Japão se reúnem em Brasília e discutem cooperação e reforma do “Conselho de Segurança da ONU”

Share

No dia 30 de junho de 2011, o “Ministro das Relações Exteriores” brasileiro, Antonio Patriota, e o “Ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão”, Takeaki Matsumoto, reuniram-se em Brasília para discutir acordos de cooperação e a reforma no “Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas” (CS-ONU).

 

A visita do ministro Takeaki Matsumoto a Brasília ocorre após ter participado como convidado da “XLI Cúpula de Presidentes de Estados Parte e Associados do MERCOSUL”, em Assunção.

No encontro, os dois chanceleres manifestaram confiança de que a reforma do “Conselho de Segurança” possa avançar com o apoio da Índia e da Alemanha, formando o G-4, grupo que propõe o alargamento dos membros permanentes do “Conselho de Segurança da ONU”.

Segundo Patriota, a proposta de reforma do “Conselho de Segurança” já conta com apoio verbal de mais de 100 dos 192 países-membros da ONU. Os dois ministros afirmaram que é possível que, em pouco tempo, a proposta seja encaminhada ao próprio Conselho para que este delibere em relação à quantidade de novos assentos permanentes e não-permanentes.

No encontro, o chanceler japonês ratificou o interesse de aprofundar o diálogo e o comércio com o MERCOSUL. Para ele, o Bloco será fundamental para ajudar no processo de recuperação econômica do Japão.

Segundo a “Agência Brasil”, foi assinado na ocasião um Acordo que prevê um empréstimo de aproximadamente R$ 1 bilhão para Projetos de Cooperação nas áreas de recursos hídricos e de transportes urbanos.

Em São Paulo, o Projeto que prevê a redução do desperdício de água receberá aproximadamente R$ 670 milhões, enquanto outro Projeto, que prevê a implantação do sistema de transporte de ônibus em Belém, receberá aproximadamente R$ 330 milhões. Esses empréstimos serão pagos em até 30 anos, com carência de no mínimo 7 anos e com juros a partir de 0,5% ao ano.

O Japão é o segundo parceiro comercial do Brasil na Ásia e o quinto do mundo. Segundo o “Palácio do Itamaraty”, em 2010, os fluxos alcançaram US$ 14,1 bilhões, um recorde. As exportações brasileiras chegaram a US$ 7,1 bilhões, com crescimento de 67,2% em relação a 2009, com saldo comercial favorável ao Brasil de US$ 159 milhões.

Tags:

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!