LOADING

Type to search

Colômbia: o Povo Arhuaco contra a mineração em seu território ancestral

Share

Em 24 de novembro de 2017, o periódico El Espectador publicou a seguinte matéria assinada por María Mónica Monsalve: “Arhuacos se mobilizam contra mineração perto da Serra Nevada de Santa Marta”. Este é o território sagrado, considerado a “Terra dos sábios”, uma terra de inocência, de humildade, um território ancestral. Como é dito no jornal: “Em outras palavras, a Serra Nevada de Santa Marta como o Coração do Mundo é a fonte de leis e conhecimentos que permitem aos quatro povos, através das práticas espirituais dirigidas pelos mamos, garantir a sustentabilidade do planeta, a humanidade e tudo o que Ela envolve em função do respeito a essas leis, porque o bem-estar da humanidade depende do bem-estar da ordem natural estabelecida pela Lei de Origem que está contida em cada um dos locais sagrados da Serra”.

Região de Sierra Nevada De Santa Marta, Colômbia

Existe uma controvérsia em relação à questão. As empresas mineradoras afirmam que não existem títulos de mineração na área do Parque Natural Nacional de Serra Nevada de Santa Marta, mas para os Povos Arhuacos esta área é mais ampla, pois tal território é delimitado a partir da denominada linha negra, que somente é observada no topo da serra, sendo um imenso território que inclui as cidades de Riohacha, Santa Marta e Valledupar.

No dia 25 de novembro de 2017, o Ministro do Interior da Colômbia, Guilhermo Rivera, divulgou via twitter que iria até Valledupar conversar com o povo Arhuaco. Escreveu: “Rumo a Valledupar para escutar as preocupações dos Arhuacos sobre a proteção da Serra Nevada de Santa Marta”. Após uma reunião de entendimento, afirmou que a proposta é a continuação da delimitação da linha negra e, sendo assim, torna-se necessária a definição destes pontos sagrados e sua localização.

Tem sido consenso que esta postura de diálogo com o povo Arhuaco é muito importante, pois envolve o respeito a esta comunidade ancestral. Envolve, sobretudo, a consideração do outro. Esta atitude positiva é somente possível devido ao contexto de busca pela paz, vivenciado pela Colômbia da atualidade, que indica trilhar o caminho da alteridade como o mais adequado.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Passeata do povo Ahuaco nas ruas de Valledupar” (Fonte):

https://twitter.com/elpaisvallenato/status/933688442432737280

Imagem 2 Região de Sierra Nevada De Santa Marta, Colômbia” (Fonte):

https://www.google.com.br/maps/dir/Sierra+Nevada+De+Santa+Marta,+Col%C3%B4mbia/Valledupar,+Cesar,+Col%C3%B4mbia/@10.7089582,-74.7512701,8z/data=!4m13!4m12!1m5!1m1!1s0x8ef4d656c375849d:0x13a3aad1a611fce0!2m2!1d-73.6001268!2d10.9331265!1m5!1m1!1s0x8e8ab9b5d6cf71d7:0x84a43625b14c234a!2m2!1d-73.2436335!2d10.4742449?hl=pt-BR

Samuel de Jesus - Colaborador Voluntário

É doutor em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e letras da UNESP - Araraquara - SP. É Mestre em História desde o ano de 2003 pelo programa de Pós - Graduação em História da UNESP de Franca/SP, atuando principalmente nos seguintes temas: História, política, democracia, militarismo, segurança, defesa e Relações Internacionais. Membro do Grupo de Pesquisas sobre História Política e Estratégia - GEHPE-UFMS e do Núcleo de Pesquisas sobre o Pacífico e Amazônia - NPPA (FCLAr UNESP). É professor de História da América da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS - campus de Coxim/MS

  • 1

Deixe uma resposta