LOADING

Type to search

Share

Nesta segunda-feira, dia 15 de março, ocorreu o encontro de executivos de onze países asiáticos, realizado na cidade de Tóquio, Japão. Foi iniciada, assim, a “Primeira Cúpula Empresarial da Ásia”.

Ela foi organizada pela Keidanren (“Federação de Negócios do Japão”). Junto com a mesma estiveram presentes delegações empresariais de outras nações asiáticas, sobretudo das grandes potências do continente: China, Índia e Coréia do Sul.

Para muitos membros da Cúpula, bem como para o presidente da Keidanren, Fujio Mitarai, os Estados Unidos e a Europa foram os grandes condutores da economia mundial por muitos anos, mas eles acreditam que neste início século XXI a Ásia poderá contribuir mais para a economia global e ser importante na recuperação da mesma, após a crise financeira internacional. O encontro teve como objetivo a Cooperação empresarial asiática visando agir na economia mundial, além de pensar sua inserção no desenvolvimento da região.

O Chanceler japonês, Katsyua Okada, que marcou presença na reunião, informou que o “Banco de Desenvolvimento da Ásia” estima que serão necessários oito trilhões de dólares para o desenvolvimento das nações do continente, nos próximos dez anos.

O Chanceler ainda enfatizou que a cooperação entre o setor público e o privado será fundamental para se chegar a esta quantia necessária, pois apenas o apoio que atualmente vem do “Banco de Desenvolvimento” não é suficiente.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!