LOADING

Type to search

O Governo do Estado de Goiás e a Paradiplomacia

Share

O governador de Goiás, Alcides Rodrigues (PP), chefiará uma missão comercial à China e à Rússia, em setembro. Rodrigues, que anunciou ontem o saldo de 627 milhões de dólares na balança comercial, atribui o bom desempenho da economia goiana a três fatores: empreendedorismo dos empresários, condições ideais que Goiás oferece e ações administrativas do governo.

 

Alcides comunicou a preparação de uma missão comercial a alguns países que são parceiros comerciais de seu Estado, com a perspectiva de ampliação das parcerias. Ele relacionou a China, para onde são destinadas 39% das exportações goianas.

Temos capacidade de aumentar esse percentual. (…) O saldo da balança, de 627 milhões de dólares, a geração de 15 mil empregos, o crescimento da nossa produção industrial e do comércio, mostram categoricamente que a economia do nosso Estado está descolada da crise”, afirmou em seu discurso.

Goiás começa a praticar o que chamamos nas relações internacionais de Paradiplomacia, isto é, uma diplomacia paralela ao governo federal pela qual se promove a inserção da unidade federativa (Estado), ou do município no cenário internacional, sendo uma alternativa para fortalecer e promover o desenvolvimento regional. Deve-se ressaltar que isso é feito sem ferir a tradicional competência da União e o papel do Ministério das Relações Exteriores na representação maior do Estado nacional na formulação e execução da política externa brasileira.

No entanto, para o efetivo desenvolvimento da Paradiplomacia, com ações estruturadas de curto, médio e longo prazo, é necessária a institucionalização de um órgão tanto na unidade federativa (Estado), quanto no município, com equipe técnica devidamente capacitada, para estabelecer as relações necessárias entre essas instâncias e os demais atores internacionais.

Cabe a esses órgãos pensar e apresentar caminhos para efetivar parcerias, financiamentos e ajuda externa em setores estratégicos, aproveitando as oportunidades que a sociedade internacional oferece e normalmente são desconhecidas.

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!