LOADING

Type to search

Relações entre China e Países da CPLP estão “Atrasadas”

Share

Xia Xaoling, conselheira econômica da embaixada chinesa na cidade de Lisboa, fez uma crítica sobre as relações estabelecidas entre a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e a China: “As relações econômicas entre a China e os países lusófonos ainda se prendem ao nível das trocas comerciais e investimentos bilaterais, estando às cooperações financeiras, nomeadamente as diretas entre bancos, ainda relativamente atrasadas, o que limita o aumento da cooperação e impede o desenvolvimento rápido e sustentado da mesma“.

Em nível governamental, as relações entre os países lusófonos e a China estão progredindo lentamente e falta aumentar as relações em nível não-governamental para que se estabeleça uma cooperação mais flexível.

No entanto, as relações bilaterais vêm progredindo desde o ano de 2006, apresentando resultados positivos, mas para Xiaoling e outros especialistas chineses, é necessário que essas relações cresçam não apenas bilateralmente e pontualmente, mas como um bloco e como um todo, para enriquecer e desencadear um crescimento dos contatos em todos os níveis, do governamental ao não-governamental.

As relações entre os chineses e os lusófonos têm um mercado potencial que conta com mais de 250 milhões de pessoas em todos os continentes, com destaques para o Brasil, Angola e Moçambique. Por isso, elas foram consideradas de suma importância pelo embaixador da China em Portugal, Gao Kexiang, durante um seminário sobre as relações da China com os países lusófonos, realizado no dia 25 de novembro, em Lisboa.

Nos últimos anos, tem-se registado uma maior aproximação no relacionamento da China com Portugal, Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste. Em 2008, o volume de comércio […] atingiu os 77 bilhões de dólares“, disse Gao Kexiang.

Para2010, atendência é o crescimento ainda mais benéfico para todos os envolvidos, o que falta para fortalecer o futuro dessas relações são cooperações governamentais e não-governamentais mais práticas e operacionais.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!