LOADING

Type to search

Costa Rica elege a primeira Vice-Presidente negra da América Latina

Share

Epsy Alejandra Campbell Barr tornou-se a primeira mulher afrodescendente a ocupar o cargo de Vice-Presidente de uma nação latino-americana, ao ser eleita no domingo, 1o de abril, na chapa do candidato Carlos Alvarado, pelo Partido da Ação Cidadã (PAC).

Campbell é economista, Mestre em Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, Mestre em Técnicas de Gestão e Decisão, foi duas vezes Deputada (2002-2006 e 2014-2018) e Presidente do PAC de 2005 a 2009. É conhecida por sua destacada atuação na defesa dos direitos das minorias, inclusive como palestrante e escritora.

A República da Costa Rica, localizada na América Central, tem quase 5 milhões de habitantes e adota o sistema presidencialista, com Parlamento unicameral representado pela Assembleia Legislativa, integrada por 57 deputados. As eleições presidenciais deste ano foram marcadas pela acirrada disputa entre Fabrício Alvarado Muñoz, do Partido Restauração Nacional (PRN), e Carlos Alvarado Quesada, do partido governista, o PAC. O candidato do PRN, que defendia uma pauta considerada mais conservadora,  liderou no primeiro turno por uma diferença de 3 pontos percentuais. No segundo turno, o candidato do governo venceu as eleições com mais de 60% dos votos.

Localização da Costa Rica no Mapa Mundi

A participação das mulheres na política costa-riquenha tem como ícones: Thelma Curling, primeira deputada negra da Costa Rica (1982-1986); Victória Garrón, pioneira na ocupação do cargo de Vice-Presidente (1986-1990); e Laura Chichilla, a primeira Presidente feminina de uma nação da América Central (2010-2014). Em Julho de 2017, no Dia Internacional das Mulheres Afrodescendentes da América Latina, do Caribe e da Diáspora, Epsy Campbell pronunciou-se destacando  os avanços obtidos e conclamando as mulheres afrodescendentes a participar mais ativamente da política.

No dia da eleição, em entrevista ao jornal CRHoy.com, quando perguntada sobre este marco que representa a sua eleição, ela declarou que “É uma responsabilidade não só para representar os afrodescendentes, mas para representar todas as mulheres e todos os homens deste país. Um país onde pessoas como eu tem as mesmas oportunidades, por isso quero seguir trabalhando”*, e finalizou dizendo: “creio que seria uma oportunidade de seguir aprofundando a democracia costarriquense justamente no quatriênio em que celebraremos o bicentenário da independência”* (Tradução Livre).   

———————————————————————————————–                    

Nota:

* No original: “Es una responsabilidad no solo para representar a los y las afrodescendientes sino para representar a todas las mujeres y a todos los hombres de este país. Un país en donde personas como yo tenemos las mismas oportunidades, por eso quiero seguir trabajando (…) creo que sería una oportunidad de seguir profundizando la democracia costarricense justamente en el cuatrienio donde celebraremos el bicentenario de la independencia”,

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Epsy Campbell Barr” (Fonte Foto da sua página no Facebook):

https://www.facebook.com/EpsyCampbellBarr/photos/a.447613314451.240592.45370099451/10156229470679452/?type=1&theater

Imagem 2 Localização da Costa Rica no Mapa Mundi” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/8/89/CRI_orthographic.svg/550px-CRI_orthographic.svg.png

A.C. Ferreira - Colaborador Voluntário

Mestre e especialista em relações internacionais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), especialista em Política e Estratégia pelo programa da ESG (UNEB, ADESG/BA), bacharel em Administração pela Universidade Católica do Salvador (UCSal). Consultor e palestrante de Comércio Exterior.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.