LOADING

Type to search

Share

No contexto do 8° Fórum Mundial da Água, realizado no dia 19 de março de 2018, em Brasília (Brasil), o Diretor de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Manuel Clarote Lapão, declarou a expectativa da Comunidade em incentivar a inserção da pauta sobre o acesso à água para todos os cidadãos dos Estados membros até o ano de 2030.

Logo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa

Sobre esta perspectiva, Lapão salienta a essencialidade da gestão dos recursos hídricos no âmbito da CPLP de forma eficaz, evitando que tal pauta permaneça apenas na esfera dos discursos internacionais. Ele a observa como pertencente aos Direitos Humanos e com grande impacto na diminuição de fatores como pobreza, insegurança alimentar, saúde pública, entre outros. O propósito de buscar a atuação não apenas no processo político, conecta-se à compreensão da necessidade de inclusão das camadas sociais mais vulneráveis, que são fortemente atingidas pela escassez de água.

Logo do 8º Fórum Mundial da Água

Cabe evidenciar que a CPLP, no segundo semestre do ano de 2017, havia realizado uma reunião técnica preparatória para o 8° Fórum Mundial da Água, dedicada ao estabelecimento das bases para a elaboração de um documento referente ao posicionamento conjunto dos Estados.

Podem-se destacar, como iniciativas realizadas pela Organização durante o Fórum, a realização do painel entre os membros sob a temática Sinergia, Água e Meio Ambiente, no contexto da Agenda 2030, e o cumprimento dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, assim como o lançamento de uma rede de recursos hídricos dos Estados membros e a reativação do portal informativo sobre meio ambiente da CPLP.

O debate sobre a gestão da água no âmbito da Comunidade de Países de Língua Portuguesa tem-se apresentado como uma pauta imprescindível por ser um fenômeno presente nos países que a compõe.

A título de exemplo, pode-se mencionar a escassez e dificuldade de acesso a água potável em países como a Angola, Moçambique e Guiné Equatorial. Igualmente, observa-se o processo de desertificação nos países insulares de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. O Fórum, nesse sentido, representa uma plataforma relevante na busca de meios para a atenuação dos feitos causados sobre a população e, consequentemente, sobre o desenvolvimento destes países.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 16° Objetivo para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas” (Fonte):

https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2016/04/E_SDG_Icons_NoText-06.png

Imagem 2Logo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/pt/0/0d/Bandeira_CPLP.svg.png

Imagem 3 Logo do 8º Fórum Mundial da Água” (Fonte):

https://cdn.agensite.online/temp/img/arquivos_1031_conteudo_posts_687506_png_350_350_1_0__.png?1512741968

                                                                                

Lauriane Aguirre - Colaboradora Voluntária

Bacharela em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Dentre as áreas de interesse encontram-se Cooperação Técnica Internacional e Segurança Internacional. Como colaboradora do CEIRI Newspaper escreve sobre o continente africano, mas especificamente os países de língua portuguesa.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.