LOADING

Type to search

Deputada venezuelana destituída participou de audiência na “Câmara dos Deputados do Brasil”

Share

No dia 2 de abril, quarta-feira, a deputada venezuelana Maria Corina Machado, destituída do seu mandato* por decisão doPresidente da Assembleia Nacional Venezuelana”, Diosdado Cabello, participou de uma audiência pública naComissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional” (CREDN), daCâmara dos Deputados do Brasilpara falar sobre a crise política venezuelana.

Na ocasião, a Deputada afirmou que “o papel do Brasil na crise em seu país é triste[1]. Ela afirmou que ficou surpreendida com a decisão do embaixador interino do Brasil na “Organização dos Estados Americanos” (OEA), Breno Dias da Costa, de impedir que ela falasse no mecanismo.

Maria Corina Machado declarou[1] ainda que a Venezuela está com uma inflação oficial de 54%, vive um clima de total insegurança e domínio dos poderes públicos por agentes civis e militares cubanos. Enfatizou também que a “União de Nações Sul-Americanas” (UNASUL) não é a instância apropriada para tratar do assunto, pois acredita que não é uma instituição confiável e imparcial.

O deputado Eduardo Barbosa (PSDBMG), presidente da CREDN, informou[1] que a Comissão se posicionará formalmente após a realização da audiência pública com os representantes do governo venezuelano.

Por outro lado o senador Roberto Requião (PMDBPR) esclareceu[2] no dia 3 de abril que não se alinha com a Oposição venezuelana. Ele questionou a deputada sobre qual seria o programa de governo que a Oposição atual colocaria em prática caso assumisse o poder. “Se um programa neoliberal, se as conquistas sociais do chavismo seriam anuladas, se o petróleo voltaria às mãos das empresas norte-americanas, como antes de 1998[2], afirmou. “Perguntei e reperguntei. E a deputada tergiversou, esquivou de responder, continuando a representar o pastelão mexicano a que se propôs desempenhar [2], declarou o Senador.

Requião demonstrou uma preocupação relacionada a uma suposta falta de plataforma e projeto político a ser implementado na Venezuela pela oposição, ou seja, que, na sua percepção, há muitas reivindicações mas sem propostas alternativas para um novo rumo.

————————————————-

* A destituição da deputada está sendo discutida, pois acredita-se que a decisão foi inconstitucional, uma vez que não é possível o presidente da Assembleia tomar esse tipo de medida unilateralmente.

—————————————–

[1] Ver:

http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/credn/noticias/deputada-venezuelana-diz-na-credn-que-papel-do-brasil-na-crise-e-triste

[2] Ver:

http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2014/04/03/requiao-esclarece-posicao-em-debate-sobre-a-venezuela

Enhanced by Zemanta
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.