LOADING

Type to search

Share

[:pt]

No último dia 16 de outubro, as Nações Unidas e suas agências especializadas comemoraram o Dia Mundial da Alimentação. No plano global, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) destacou que para alimentar os 9 bilhões de habitantes que existirão em 2050, a produção mundial de alimentos precisa aumentar em 60%. Nesse ano, a organização destacou a necessidade de adaptar a alimentação e a agricultura, em função das mudanças no clima. Para Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, “precisamos de uma agricultura mais adaptativa, diferente, que seja sustentável, ambientalmente amigável e essa agricultura precisa de muita pesquisa”.

Outra agência das Nações Unidas especializada em segurança alimentar, o Programa Mundial de Alimentos (PMA), ressaltou a formulação e a implementação de ações conjuntas entre governos, empresas e organizações, destacando o caso do Centro de Excelência contra a Fome, fruto da parceria entre o PMA e o Governo brasileiro para erradicar a fome. Atualmente, o Centro fornece assistência técnica a mais de 30 países em desenvolvimento, simultaneamente, mediante Cooperação Sul-Sul e triangular.

Ainda no plano global, o BRICS (grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) tem se reunido no intuito de fortalecer a cooperação multilateral para garantir a segurança alimentar, tanto nos países membros, quanto no nível global. Em evento paralelo à Cúpula dos BRICS, em Goa, na Índia, os Chefes de Estado se organizaram, no intuito de criar uma Plataforma de Pesquisa Agrícola, onde cada país teria sua própria atribuição. De acordo com reportagem d’O Globo, o Brasil seria o responsável por formular estratégias de acesso aos alimentos, principalmente por grupos vulneráveis; a China criaria um sistema para troca de informações sobre agricultura; a África do Sul mensuraria o impacto das mudanças climáticas sobre a segurança alimentar; e a Rússia promoveria o comércio e o investimento.

No Brasil, o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, lançará a primeira publicação da Rede Global de Ensino, Pesquisa e Extensão em Nutrição, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (NutriSSAN) na abertura da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). A NutriSSAN foi inaugurada à véspera da abertura dos Jogos Olímpicos e é uma parceria da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e conta com o apoio da FAO, com o objetivo de conectar pesquisadores de vários países para melhorar a nutrição de pessoas de todo o mundo.

———————————————————————————————–

ImagemAfrica Food Security 18” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Africa_Food_Security_18_(10665134354).jpg

[:]

João Antônio dos Santos Lima - Colaborador Voluntário

Mestre em Ciência Política na Universidade Federal de Pernambuco e graduado em Relações Internacionais na Universidade Estadual da Paraíba. Tem experiência como Pesquisador no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) no projeto da Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi). Foi representante brasileiro no Capacity-Building Programme on Learning South-South Cooperation oferecido pelo think-tank Research and Information System for Developing Countries (RIS), na Índia; digital advocate no World Humanitarian Summit; e voluntário online do Programa de Voluntariado das Nações Unidas (UNV) no projeto "Desarrollar contenido de opinión en redes sociales sobre los ODS". Atualmente, mestrando em Development Evaluation and Management na Universidade da Antuérpia (Bélgica) e Embaixador Online do UNV na Plataforma socialprotection.org.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!