LOADING

Type to search

Share

[:pt]

A economia chinesa volta a apresentar sinais positivos em alguns setores, sendo que tais notícias podem animar a economia mundial. Com a recessão econômica, muitos já criavam cenários da economia global sem depender da China, mas, com a atual dinâmica globalizada da economia, e com mercados cada vez mais dependentes uns dos outros, não há como descartar um ou outro ator que compõe o quadro econômico global.

Economia chinesa aparenta ter estabilizado. Recentemente, a sua indústria apresentou um aumento que superou o esperado por economistas tanto do país, como ao redor do globo. No mês de outubro passado, o Índice de Gerentes de Compras (PMI, sigla em inglês) foi de 51,2 pontos, frente aos 50,1 apresentado no mês de setembro. No geral, a economia chinesa apresentou uma alta de 6,7% no terceiro trimestre deste ano (2016), graças ao investimento e comprometimento do Governo com a sua economia interna, sem, no entanto, perder o foco no comércio internacional.

Podemos notar tal comprometimento com a expansão do setor de serviços no país e a demanda de novas encomendas, estimulando o comércio interno e refletindo no setor exportador. “A maioria dos índices mostra melhoria moderada ante as leituras em setembro, com exceção do índice para preço cobrado, que caiu levemente em comparação com o mês anterior”, disse Zhong Zhengsheng, diretor de análise macroeconômica do Grupo de CEBM (China).

Assim como a de outros países, a economia chinesa vai se estabilizando e voltando a crescer gradativamente, deixando os investidores mais esperançosos de que esta e as demais economias globais voltem a ganhar força para melhorar o desenvolvimento comercial em nível mundial.

———————————————————————————————–                    

Imagem (FonteIlustração: Fabricio Bomjardim / CEIRI):

Roytes Free para o CEIRI.

[:]

Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.