LOADING

Type to search

Os responsáveis pelo Projeto do “Trem Bala Brasileiro” inicia sua visita à Ásia para negócios

Share

O projeto da construção da ferrovia de alta velocidade brasileira (ligando Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro) está chamando a atenção de empresas estrangeiras e, com isso, a equipe responsável pelo projeto iniciou sua visita ao continente asiático para estudar os modelos do Japão, da China e da Coréia do Sul para iniciar as negociações.

O projeto da linha de alta velocidade, conhecido pela sigla “TAV” (Trem de Alta Velocidade) é um projeto ambicioso que deverá custar R$ 30 bilhões, investimento que terá o financiamento com condições especiais do “Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social” (BNDES).

Dentro do país a “Invepar”, Holding que reúne os fundos de pensões “Previ” (Banco do Brasil), “Funcef” (Caixa Econômica Federal), “Petros” (Petrobrás) e a construtora OAS, retomaram as negociações para a formação de um consórcio e disputar à licitação da obra.

Representantes da Holding estiveram na Coréia do Sul, já marcaram reuniões com empresas chinesas e estão agendando uma visita ao Japão para estudar o sistema implantado nestes países. Segundo Joilson, “Diretor de Participações da Previ”: “todos estão buscando novos projetos e financiamento com taxa adequada, que atenda a essa condição de investimento estruturante, portanto longo. Percebemos que há uma discussão também (no BNDES e no governo) sobre a mitigação do risco de demanda. Estávamos olhando o projeto antes meio na lateral. A novidade agora é que a ‘Invepar’ está, mais do que no passado, interessada no projeto“.

A visita ao continente asiático pode ser proveitosa e benéfica, uma vez que os países que estão na agenda de visitas da “Previ” têm interesses em participar de grandes projetos de infra-estrutura fora de seus países de origem e o “TAV” é um projeto que chama a atenção de todos.

Além desse interesse das empresas asiáticas, no último encontro do “BRIC” (Brasil, Rússia, Índia e China), realizado no mês passado, em Brasília, que também teve uma reunião com o empresariado japonês, houve a cobrança do presidente brasileiro por maior participação das empresas asiáticas para apresentar boas propostas para o projeto.

Tendo esses pontos a favor dos asiáticos, eles não mantêm uma postura tímida quanto à questão e a visita da “Previ” ao continente, pois é a demonstração de interesse pelo projeto. “Fomos à Coréia na semana passada conhecer o projeto deles (sic). Na próxima semana iremos ao Japão, a convite da ‘Mitsui’. Estamos olhando como investidores e como participantes de consórcios. É um investimento muito grande. É muito dinheiro para um investidor só. Temos a vantagem de ter o ‘Metrô do Rio’ e de ter executivos que conhecem este tipo de operação“, disse o diretor da “Previ”.

Os concorrentes para no projeto TAV estão disputando e apresentando seus planos de negócios para assumir este grande empreendimento de Infra-estrutura no Brasil, o qual será um dos mais caros de toda a história do país. Deve-se destacar que não foram disponibilizadas informações se o projeto poderá ser concluído até 2014, ano da “Copa do Mundo” no Brasil, ou até 2016, quando serão realizadas as “Olimpíadas”, no Rio de Janeiro.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!