LOADING

Type to search

Barack Obama aposta na estratégia da Paz e da negociação

Share

Um dia após anunciar o fim da missão de combate dos EUA no Iraque, o presidente estadunidense, Barack Obama, passou a dar atenção ao processo de pacificação do Oriente Médio, investindo no patrocínio e mediação do diálogo entre as autoridades da região, tratando do conflito palestino-israelense.

A estratégia do norte-americano está concentrada na diplomacia para buscar caminhos de estabilização e, neste processo, o discurso tem sido um instrumento nimportante, devido a sua eficácia imediata.

Quando anunciou o termino da missão no Iraque, Obama se recusou a falar em vitória, em expor idéias de missão civilizatória, bem como evitou acusar o governo anterior sobre a situação em que os EUA estão envolvidos.

Pelo discurso, ficou transparente que, praticamente, identifica que o ocorrido foi uma condição histórica na qual seu país foi envolvido e agradeceu às ações de George W. Bush por ter dado condições de se chegar ao termino da situação. No entanto, afirmou que a situação iraquiana foi um erro, que precisou ser encerrado. O sentido é de que foi um erro no qual os norte-americanos foram colocados, algo que isenta de culpa os líderes anteriores.

Assim, solicitou que, agora, deve-se virar a página e começar outro trabalho em prol da paz no mundo. O passo seguinte é a pacificação do Oriente Médio, com a intensificação das negociações entre palestinos e israelenses.

Ontem, dia 1 de setembro, reuniu-se com o presidente da “Autoridade Palestina”, Mahmud Abbas; com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu; a tarde, com o rei Abdullah da Jordânia e com o presidente egípcio, Hosni Mubarak.

De acordo com analistas, Obama está precisa investir nestas negociações, pois necessita que a região esteja pacificada para tratar das questões urgentes da proliferação e do terrorismo nuclear, adotando de forma precisa e coerente o conceito de “smart Power”, desenvolvido pelo cientista político norte-americano Joseph Nye, e tomado como princípio para o planejamento estratégico do atual governo.
Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!