LOADING

Type to search

Os benefícios para investimento estrangeiro em Angola

Share

Os setores de Turismo, Agricultura, Restauração, Construção Civil e Comércio são consideradas as áreas mais promissoras para o investimento estrangeiro em Angola.

Em uma reunião na “Representação Comercial de Angola em Portugal”, o “Ministro Conselheiro de Angola”, António Albuquerque, afirmou que a Agricultura é uma “área emergente em Angola, com muitas áreas para cultivo inoperantes”, sendo uma “aposta séria” do Governo angolano “minimizar as grandes dificuldades sentidas na produção alimentar” no país.

Para estimular o investimento estrangeiro, Angola oferece diversos benefícios decorrentes das facilidades burocráticas e incentivos fiscais. No caso da agricultura, a maioria dos terrenos é de propriedade dos governos provinciais, que têm áreas já definidas para culturas específicas, podendo conceder as terras por um período de 60 anos. O material novo exportado fica isento de impostos. Para as empresas de direito angolano, as isenções fiscais podem ir até 15 anos, existindo também isenções sobre direitos aduaneiros.

Outros setores, como energias renováveis ou gestão de resíduos são ainda embrionários no país, mas podem se constituir como oportunidades de investimento inovadoras. Em outros setores, como a construção civil, já há forte concorrência, especialmente em Luanda, mas há, ainda, muitos nichos de mercado nas províncias menores.

O ministro Albuquerque considera que este é o momento “certo para se investir” no país, pois, dentro de 10 anos, os incentivos fiscais vão diminuir, ou até mesmo desaparecer.

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!