LOADING

Type to search

Retaliação brasileira contra EUA gera declaração de decepção por parte do governo norte-americano e ameaças indiretas

Share

A declaração brasileira de que dará continuidade à retaliação autorizada pela “Organização Mundial do Comércio” (OMC) gerou declarações de decepção por parte do governo dos EUA e ameaças de que tal decisão afetará diretamente os investimentos norte-americanos no Brasil, bem como afetará às relações comerciais entre os dois países. O presidente estadunidense, Barack Obama, declarou-se decepcionado pela adoção da medida e afirmou que ainda acredita na negociação, com propostas que ainda serão apresentadas.

Empresários brasileiros têm sugerido que seria positivo para o país se fossem facilitadas às importações de produtos brasileiros pelos EUA, como carne, álcool, suco de laranja etc., ou buscada a compensação por meio de maiores investimentos dos EUA no país, ao invés do aumento da tributação sobre os produtos.

Acreditam que os benefícios das retaliações podem ser invertidos, no caso do aumento das taxas, pois os produtos teriam seus preços aumentados, gerando uma escalada e afetando outros, inflacionando os preços para os consumidores brasileiros.

No caso dos direitos autorais, os produtos seriam barateados, mas a dimensão é pequena (mesmo sendo de 238 milhões de dólares) e geraria problemas ao fim da retaliação. Há várias alternativas para a execução da medida, porém os norte-americanos ainda acreditam que haverá negociação e pretendem apresentar novas propostas.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!