LOADING

Type to search

Rússia deseja reforçar parceria estratégica com o Brasil

Share

O governo russo, mantendo sua “política externa” de expansão da influência no cenário internacional, deseja reforçar a parceria estratégica com o Brasil. Os representantes de ambos os governos estarão em Brasília, entre os dias 7 e 8 de outubro, durante a “VI Comissão Intergovernamental Brasil-Rússia de Cooperação Econômica, Comercial, Científica e Tecnológica” (VI CIC) e, no dia 7, para a “Reunião de Consultas Políticas”, entre Brasil e Rússia.

O foco dos encontros será a ampliação das relações comerciais bilatérias, pois as trocas entre os dois países teve um pico de US$ 7,85 bilhões, em 2008, e depois apresentou grande queda em 2009,  estimando-se que possa chegar a 6 bilhões este ano.

Dentre os objetivos existe o de estabelecer a meta de 10 bilhões de dólares em dois anos, mas da parte brasileira, estão sendo ressaltadas as questões acerca de barreiras para produtos brasileiros na Rússia, em especial a carne, e o Brasil está vinculando seu apoio à entrada dos russos na “Organização Mundial do Comércio” (OMC) a esta questão.

De acordo com, Roberto Azevedo, o embaixador brasileiro na OMC, “temos algumas pendências bilaterais, que esperamos poder resolver com agilidade para não retardar desnecessariamente o processo de adesão da Rússia à OMC. O Brasil é incontornável nessa negociação, pelo seu peso como exportador agrícola e continuamos cobrando melhor acesso àquele mercado”.

Isto exigirá do governo da Rússia assessoria especializada para tratar da negociação, pois um dos grandes entraves para os russos no Brasil é o desconhecimento das respectivas culturas pelos dois povos.

Apesar do entrave, a tendência é de crescimento das relações entre os dois países, intensificando os laços culturais além dos comerciais, pois os problemas que precisam ser enfrentados decorrem mais das poucas trocas culturais entre os dois países.

A CIC está estruturada em 7 subcomissões: (1) Cooperação Econômico-Comercial, (2) Cooperação Agrícola, (3) Cooperação Energética, (4) Cooperação Espacial, (5) Cooperação Técnico-Militar, (6) Cooperação Científico-Tecnológica e (7) Cooperação entre Estados brasileiros e Regiões da Rússia.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!