LOADING

Type to search

Taiwan e a China celebram o acordo mais importante dos últimos 60 anos

Share

Está para ser assinado hoje, dia 29 de junho, o acordo mais importante da história das relações dos dois lados do estreito de Taiwan: o “Acordo de Livre Comércio” (ECFA, sigla em inglês). A Delegação taiwanesa já está no sul da China para ultimarem o histórico acordo de cooperação econômica entre a ilha de Formosa e a China continental.

O “Acordo de Livre Comércio” é visto pelo governo taiwanês como uma forma de sobreviver frente às integrações e aos demais “Acordos de Livre Comércio” que vêm sendo conduzidos no continente asiático, principalmente com a parte continental chinesa.

Para os observadores mais otimistas, esta será uma oportunidade para a ilha firmar Tratados da mesma natureza com outros países e ter sua balança comercial desvinculada da parte continental.

Em Beijing, o noticiário local vê o ato como “um passo significativo para resolver as suas diferenças políticas e militares”, sendo um caminho para reconstruir a história das relações entre os dois lados do estreito.

Embora o Acordo seja visto com bons olhos por Beijing, por Taipei e por alguns economistas taiwaneses, ele ainda é motivo de protestos. Os principais opositores na ilha, juntamente com representantes do “Partido Democrático Progressista” (DPP, sigla em inglês) e mais de 150 mil pessoas foram às ruas da capital para protestar contra a sua assinatura.

Os opositores alegam que ele tornará ainda mais pobre a classe taiwanesa mais carente, além de prejudicar a economia de Formosa, pois algumas empresas não têm condições de competir com as empresas da China continental. Além da questão econômica, os opositores temem a dependência da ilha com Beijing, considerando que este Acordo será o início da reunificação das “duas Chinas”.

Ao longo das negociações, o presidente de Taiwan, Ma Ying-Jeou, destacou que o “Acordo de Livre Comércio” não tem nenhum termo que possa afetar a soberania da ilha. Todas as cláusulas negociadas foram trabalhadas de forma que não prejudique a sua economia, os pequenos empresários e a sua população.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.