LOADING

Type to search

Empresa chinesa arremata hidrelétrica da Cemig

Share

No dia 27 de setembro de 2017, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizou o leilão de quatro hidrelétricas que até então eram operadas pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A empresa Pacific Hydro, controlada pelo companhia estatal chinesa State Power Investment Corp (Spic, sigla em inglês), arrematou o direito de operação da usina de São Simão por 7,18 milhões de dólares. Os leilões resultaram em uma arrecadação de 12,13 bilhões de reais. De acordo com a Agência Brasil, o dinheiro será utilizado pelo Governo Federal para redução do déficit de 159 bilhões de reais previsto para este ano (2017). 

Prédio da Cemig em Belo Horizonte

O arremate da usina de São Simão por uma companhia proveniente da China ocorre em um contexto de intensa aquisição de ativos do setor energético e infraestrutura brasileiros por parte de empresas do país asiático. Por exemplo, no dia 4 de setembro, o conglomerado China Merchants Port Holdings Company Limited (CMPort, sigla em inglês) adquiriu o controle do Porto de Paranaguá. Além disso, nota-se que a estatal chinesa State Grid é uma das principais interessadas na privatização da Eletrobrás.

A realização dos leilões provocou intensa disputa judicial entre o Governo Federal e a Cemig. No dia 21 de agosto de 2017, o Tribunal Regional Federal da 1º Região concedeu liminar para suspender a venda das usinas. No entanto, tal decisão foi derrubada por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Posteriormente, executivos da estatal e membros da bancada mineira no Congresso Nacional tentaram negociar com o Palácio do Planalto a renovação da concessão de ao menos uma das unidades.

De acordo com o Presidente da Cemig, Bernardo Alvarenga, tais esforços se justificam porque “a perda dessas usinas significará na redução da capacidade de geração da Cemig em quase 50%. Significa termos uma outra companhia e ela não será mais aquela empresa que todos conhecemos, que é a maior empresa do setor elétrico brasileiro. A Cemig vai ser fortemente prejudicada e, consequentemente, todos os mineiros”.

Por outro lado, a interpretação do Palácio do Planalto é de que o interesse dos investidores estrangeiros nos ativos brasileiros indica que a política econômica está no rumo certo. O Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, considerou que “a gente teve um resultado acima do esperado. Foi importante porque não foi só uma empresa, foram três. Uma que chega ao Brasil forte, a SPIC, e duas já conhecidas no mercado brasileiro, Engie e Enel”. Por sua vez, Michel Temer, Presidente do Brasil, afirmou em sua conta oficial do Twitter que “nós resgatamos definitivamente a confiança do mundo no Brasil. Leilão das usinas da Cemig rendeu R$12,13 bi, acima da expectativa do mercado”.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1Presidente do Brasil, Michel Temer, e o Presidente da China, Xi Jinping” (Fonte):

http://en.kremlin.ru/events/president/news/55515

Imagem 2 Prédio da Cemig em Belo Horizonte” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Companhia_Energ%C3%A9tica_de_Minas_Gerais#/media/File:Cemig.JPG

Pedro Brancher - Colaborador Voluntário

Doutorando em Ciência Política pela Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Mestre em Estudos Estratégicos Internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pesquisa nas áreas de Segurança Internacional, Economia Política Internacional e Política Externa Brasileira. Como colaborador do CEIRI Newspaper escreve sobre Ásia, especialmente sobre China, país em que residiu durante um ano e que é seu objeto de estudo desde 2013.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!