LOADING

Type to search

Share

[:pt]

Mediante o crescente papel das tecnologias de informação e comunicação (TIC) no cotidiano das pessoas e das empresas, o conceito de Governo Eletrônico (e-government) assumiu função relevante para o alcance das metas da Agenda 2030. Sob a liderança do Reino Unido, Austrália e Coreia do Sul, as Nações Unidas lançaram mais um estudo ressaltando a promoção do Governo Eletrônico como ferramenta efetiva para facilitar a integração de políticas e de serviços públicos, promovendo instituições mais confiáveis e transparentes através de dados abertos, participação eletrônica, serviços online e tomada de decisão participativa.

O relatório aborda detalhadamente a importância de três fatores que capturam os avanços nacionais e a construção do índice: 1) escopo e qualidade dos serviços online; 2) a realidade da infraestrutura em telecomunicações; e 3) a existência de capacidade humana. Entre os resultados, destaca-se a nova tendência na prestação de serviços sob a demanda da população, que consiste em serviços que de fato refletem as necessidades do povo e que são realizados por eles mesmos, evitando o desperdício de recursos e de prioridades.

Apesar do crescimento substancial no acesso à internet em todas as partes do mundo, a falta de acesso à tecnologia e o impacto da pobreza e da desigualdade acabam por mitigar as vantagens e os potenciais das TIC. Por exemplo, os países da Europa fornecem até dez vezes mais serviços para os pobres, pessoas com deficiências ou os mais idosos do que nos países da África e da Oceania. O esforço para assegurar o acesso universal à internet nos países menos desenvolvidos está acordado no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 9.

———————————————————————————————–                    

Imagem (Fonte):

http://govpilot.com/wp-content/uploads/2015/08/photodune-10392100-domain-name-button-s.jpg

[:]

João Antônio dos Santos Lima - Colaborador Voluntário

Mestre em Ciência Política na Universidade Federal de Pernambuco e graduado em Relações Internacionais na Universidade Estadual da Paraíba. Tem experiência como Pesquisador no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) no projeto da Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional (Cobradi). Foi representante brasileiro no Capacity-Building Programme on Learning South-South Cooperation oferecido pelo think-tank Research and Information System for Developing Countries (RIS), na Índia; digital advocate no World Humanitarian Summit; e voluntário online do Programa de Voluntariado das Nações Unidas (UNV) no projeto "Desarrollar contenido de opinión en redes sociales sobre los ODS". Atualmente, mestrando em Development Evaluation and Management na Universidade da Antuérpia (Bélgica) e Embaixador Online do UNV na Plataforma socialprotection.org.

  • 1

1 Comments

  1. Cuidadores Online 20 de fevereiro de 2017

    Olá, João. Tudo bem?

    Muito bom o texto. Tomara mesmo que todos os países tenham um acesso de qualidade à internet.

    Um grande abraço!

    Responder

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.