LOADING

Type to search

Etiópia e China intensificam relações comerciais

Share

Em sua planejada mudança para uma economia de base industrial, a Etiópia caminha na importação de tecnologias produtivas e na celebração de acordos internacionais de cooperação para a estruturação do segundo setor (a Indústria). Um dos principais parceiros no projeto desenvolvimentista tem sido a China.

Corporação de Construção de Engenharia Civil da China

Neste sentido, na semana passada, novos passos foram dados em tal direção, com a intensificação cada vez maior da participação chinesa no processo de industrialização etíope. Na última sexta-feira (9 de junho), uma das maiores companhias chinesas de construção civil, a China Civil Engineering Construction Corporation (CCECC) assinou um contrato de construção de um parque industrial de 60 milhões de dólares na cidade de Bahir Dar, a 552 km ao norte da capital, Addis Ababa.

A relação da companhia chinesa com a Etiópia já é de longa data, tendo a empresa participado da construção do parque industrial de Hawassa e de Adam, a 275km e 99km, respectivamente, da capital etíope. O parque de Dahir Dar terá, segundo a companhia, um tamanho de 75 hectares e 8 armazéns industriais.

O acontecimento se dá em meio às expectativas para a primeira “Semana de Negócios Chineses a ser realizada em Addis Ababa, entre os dias 4 e 6 de julho. O evento contará com empresas chinesas de diversos ramos, da agricultura à construção civil, da hotelaria à têxtil, tendo em vista a acentuação das relações comerciais entre as empresas da China e as empresas etíopes.

Trata-se do primeiro evento com esta temática na Etiópia e sinaliza uma esperada intensificação dos laços comerciais entre os dois países. A intensificação vai contra a tendência geral observada no continente africano, pois, segundo um relatório das Nações Unidas divulgado na semana passada, em 2016 os investimentos estrangeiros caíram aproximadamente 3% em todo o continente. De acordo analistas, parte da explicação para a queda está no reduzido preço internacional das commodities, fato que diminui a perspectiva de lucro entre os investidores externos.

Os laços entre Etiópia e China refletem um período não somente de acentuação de relações comerciais e diplomáticas entre nações do Globo Sul, mas também uma contínua transição econômica dentro da própria China. Este país vem migrando as atividades com uso intensivo de mão de obra a outros países, concentrando-se em atividades de maior valor agregado e de uso amplo de tecnologia.

Por um lado, este fato pode significar uma brecha à industrialização etíope. Entretanto, do outro, pode implicar em reduzidos salários e deterioração das condições de vida, especificamente no espaço urbano, à medida que se intensifica o êxodo rural. Um planejamento urbano não apropriado, bem como uma falha na concessão de direitos sobre a terra às populações rurais podem implicar em excessivo inchaço urbano e instabilidade social nos grandes centros.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Relações China e Ethiopia ” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/China%E2%80%93Ethiopia_relations

Imagem 2 China Civil Engineering Construction Corporation” / “Corporação de Construção de Engenharia Civil da China” (Fonte CCECC website):

http://www.ccecc.com.cn/en/

Tags:
Pedro Frizo - Colaborador Voluntário

Economista pela ESALQ-USP, é atualmente mestrando em Sociologia pelo Programa de Pós- Graduação do IFCH-UFRGS. Foi pesquisador do Programa de Mudanças Climáticas do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (IDESAM). Atualmente desenvolve pesquisas na área de Sociologia Econômica, Economia Política e Sociologia do Desenvolvimento. Escreve no CEIRI Newspaper sobre economia e política africana, como foco em Angola, Etiópia e Moçambique

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!