LOADING

Type to search

[:pt]EUA e Rússia prestes a concluir Acordo sobre a cidade de Aleppo[:]

Share

[:pt]

Na última quarta-feira, dia 16 de agosto, foi registrado um vídeo pelo grupo opositor sírio Aleppo Media Center (AMC), que, posteriormente, veio a ser divulgado na internet. Neste, são mostradas crianças sendo resgatadas de escombros, ocorridos após um bombardeio aéreo que deixou 33 civis e 19 rebeldes mortos em Aleppo, cidade chave do conflito na Síria. No vídeo, é apresentada uma criança, aparentemente em estado de choque e ensanguentada. A imagem emocionou o mundo, que pôde ver a triste realidade atual da Síria, cuja Guerra Civil já dura cinco anos.

Anteriormente a esse ataque, no dia 15, segunda-feira passada, o Ministro da Defesa russo, Serguei Shoigu, realizou um anuncio para a emissora Rossiya 24, comunicando um possível acordo militar entre os Estados Unidos (EUA) e a Federação Russa, em prol do fim da guerra civil naquele país. Segundo o Ministro, o Governo russo está em uma fase ativa das negociações com os norte-americanos, tendo contato praticamente permanente com Washington e que estão próximos de uma estrutura que permitirá aos habitantes de Aleppo o fim da guerra e um cenário de paz para suas vidas.

Ao serem questionados, os Estados Unidos, por meio da Porta-Voz do Departamento de Estado, Elizabeth Trudeau, não negaram as conversas entre Moscou e Washington, mas evitou afirmar o anúncio de Shoigu e desconversou dizendo que os dois governos estão em contato regular, de modo que possam encontrar uma forma para cessar as hostilidades, melhorar o acesso humanitário e, assim, encontrar uma solução política para a Guerra Civil. Ambos os países já discutem uma estratégia para o fim do conflito há algum tempo, algumas delas realizadas em Genebra, no início deste ano (2016), mas não conseguem um acerto para saber quais grupos rebeldes podem ser atingidos.

A questão central na divergência entre Rússia e EUA baseia-se no apoio que dão aos lados que combatem no conflito. O primeiro encontra-se a favor da permanência do presidente Bashar Assad no poder, enquanto que o segundo apoia os grupos opositores e armados, contrários ao Mandatário sírio.

Enquanto Rússia e EUA não decidem um viés para o fim da batalha de Aleppo, a cidade poderá continuar sofrendo com confrontos e condições desumanas que já atingem dois milhões de pessoas. Aos que conseguem sobreviver, faltam água, comida e energia. A luta pelo controle da cidade tem ao leste os rebeldes e ao oeste o Governo sírio. Na tentativa de resolver a situação humanitária, a ONU (Organizações das Nações Unidas), já pediu um cessar-fogo urgente.

———————————————————————————————–                    

ImagemUm combatente rebelde andando por meio das ruínas de Alepo” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_Civil_S%C3%ADria

[:]

Ana Raquel Cordeiro - Colaboradora Voluntária Júnior

Graduada em Relações Internacionais (2014) pela Universidade da Amazônia – PA e profissionalmente atua com gestão de empresas. Áreas de interesse em pesquisa são em Marketing e mídias Internacionais, Conflitos bélicos e étnicos de interesse internacional, dentre outros.

  • 1

Deixe uma resposta