LOADING

Type to search

[:pt]EUA e Rússia voltam a dialogar sobre problemática na Síria[:]

Share

[:pt]

Na corrida contra o fim da guerra civil em Aleppo, cidade chave do conflito sírio desde 2011, os Estados Unidos (EUA) e a Rússia já se reuniram diversas vezes em busca de uma possível solução para o seu fim. A mais recente ocorreu no início do mês passado, em 9 de setembro. Os dois países acordaram sobre um cessar-fogo na Síria a partir do dia 12 daquele mês, com fins de ajuda humanitária, mas, posteriormente, ele veio a ser interrompido após um atentado que ocorreu a um comboio de 31 caminhões que passava na estrada próxima de Orum al-Kubra, na Província de Aleppo.

Devido ao ocorrido, a Organização das Nações Unidas (ONU) interrompeu à ajuda humanitária, que só veio ser reestabelecida no dia 22 de setembro. O atentado deixou mais de 12 pessoas mortas e, por sua vez, acabou gerando um mal-estar na relação entre norte-americanos e russos. Isto ocorreu logo após as investigações estadunidenses concluírem que os atentados poderiam ter vindo da própria Rússia. Porém, o Governo russo se pronunciou por meio de seu porta-voz, Igor Konashenkov, no dia 20 de setembro, afirmando que as imagens dos ataques feitas por drones comprovavam a inocência de seu país.

Mesmo após a ONU voltar a enviar uma nova frota de caminhões com fins de ajuda humanitária para a Síria, os EUA, por meio do Departamento de Estado, anunciaram no dia 3 de outubro a interrupção dos diálogos com os russos sobre um novo cessar-fogo e a criação de equipes para enfrentar os extremistas. Segundo o Porta-Voz dos Estados Unidos, John Kirby, a decisão foi pensada devido a intensificação dos ataques a áreas civis, os quais poderiam ter vindo de tropas russas.

Dias após a declaração de John Kirby, na última quarta-feira, 12 de outubro, o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergey Lavrov, anunciou, por meio da emissora estadunidense CNN, que se reuniria com o Secretário de Estado Norte-Americano, John Kerry, no último sábado, 15 de outubro, na cidade de Lausanne, Suíça. Essa seria a oportunidade para a reabertura do diálogo sobre a problemática na Síria.

O encontro entre os dois estadistas teve a participação de Chefes de Estado da Turquia, Arábia Saudita e Qatar, considerados pelo Ministro russo como “países chaves na região”. O interesse de Lavrov em incluir estes países, segundo noticiado na CNN, foi para realizar uma reunião de formato reduzido, objetivando concretizar uma discussão consistente, “ao invés de outro debate do gênero Assembleia Geral”.

———————————————————————————————–    

ImagemBarack Obama e Vladimir Putin em 2009”(Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Vladimir_Putin#/media/File:Barack_Obama_%26_Vladimir_Putin_at_Putin%27s_dacha_2009-07-07.jpg

[:]

Ana Raquel Cordeiro - Colaboradora Voluntária Júnior

Graduada em Relações Internacionais (2014) pela Universidade da Amazônia – PA e profissionalmente atua com gestão de empresas. Áreas de interesse em pesquisa são em Marketing e mídias Internacionais, Conflitos bélicos e étnicos de interesse internacional, dentre outros.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.