LOADING

Type to search

Evo Morales vai a Rússia e China em busca de parcerias

Share

O Presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, Evo Morales, realizou uma viagem de dez dias à Rússia e à China com a finalidade de firmar acordos comerciais e tratar de outros interesses do seu país. A viagem, iniciada em 12 de junho de 2018, incluiu uma passagem pela Holanda para tratar de uma questão específica em julgamento na Corte Internacional de Justiça (CIJ).

Evo Morales desembarca de volta da viagem

Em Moscou foi assinado um acordo com a empresa Gazprom para exploração de um campo de gás natural na região sul da Bolívia. A empresa, considerada a maior indústria de gás do planeta, já extrai esta commodity no país andino e poderá duplicar a produção, além do que, há interesse em formar uma parceria para a comercialização do produto boliviano em todo o mundo. Por ocasião da sua passagem pela capital russa, Morales concedeu entrevista exclusiva ao Sputnik News, na qual falou de outras parcerias com o governo de Putin e opinou sobre política mundial e regional, dentre vários temas. Aficionado por futebol, o mandatário boliviano participou também da abertura da Copa do Mundo de Futebol, o que lhe rendeu severas críticas de opositores.

Antes de seguir para a China, ele esteve em Haia, na Holanda, cidade-sede da Corte Internacional de Justiça (CIJ), onde se reuniu com a equipe jurídica nacional e internacional boliviana no sábado (16/6/2018) para avaliar a resposta à uma demanda do Chile. Trata-se de uma disputa acerca da propriedade e uso de um curso de água, denominado Silala, que aquele país alega ser um rio transfronteiriço e, portanto, binacional. Já a Bolívia afirma que é um conjunto de mananciais bolivianos, cujo curso foi desviado ao Chile por meio de canais artificiais construídos por empresas chilenas no início do Século XX. O conflito é um dos 14 casos pendentes de decisão da  CIJ que  prorrogou até setembro de 2018 o prazo, que era 3 de julho, para a Bolívia apresentar defesa sobre a contenda que se iniciou em 2016, por iniciativa do Chile. Ambos os países têm outro caso em tramitação na CIJ, que diz respeito ao acesso ao Oceano Pacífico para a Bolívia, demandado por este país em 2013.

Chegando à China, o Executivo permaneceu por dois dias (18 e 19 de junho) visitando empresas e se reunindo com empresários. No último dia foi recebido pelo seu homólogo, Xi Jinping, em Pequim, e firmaram uma aliança estratégica composta por seis documentos: (1) Memorando de entendimento entre o Governo da China e da Bolívia sobre a cooperação no marco da franja econômica da Rota da Seda e a iniciativa marítima da Rota da Seda do Século XXI; (2) Protocolo de cooperação cultural entre Bolívia e China; (3) Protocolo fitossanitário com a administração da Alfândega da China para habilitação de exportação de quínua; (4) Protocolo fitossanitário com a administração da Alfândega da China para habilitação de exportação de café; (5) Convênio de cooperação econômica e técnica para proporcionar doação não-reembolsável de 200 milhões de iuanes e (6) um Memorando de entendimento entre o Ministério de Planejamento da Bolívia e o Banco de Desenvolvimento da China para o financiamento da construção da rodovia de pista dupla Bombeo-Villa Tunari.

Em pronunciamento à imprensa no seu retorno, o Presidente da Bolívia afirmou que potências mundiais tais como a China, Rússia e Alemanha demonstram ter interesse em acompanhar o processo de mudança do país sul-americano, em razão do desenvolvimento alcançado nos últimos anos. Análises de instituições multilaterais renomadas tais como FMI (dezembro 2017) e Banco Mundial (abril de 2018) reconhecem os avanços sócio-econômicos do país  e o chamado “milagre econômico boliviano” tem sido abordado por diferentes veículos de comunicação. A cooperação internacional, inclusive com países de fora do continente, tem sido priorizada na gestão de Evo que tem estado atento ao interesse das demais nações e afirmou que espera, para 2025, que a economia boliviana esteja alicerçada em quatro pilares: energia, hidrocarbonetos, mineração e agricultura.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Evo Morales em visita à China” (Fonte):

http://comunicacion.presidencia.gob.bo/fotografias/2018/06/20/0001.jpg

Imagem 2 Evo Morales desembarca de volta da viagem” (Fonte):

http://comunicacion.presidencia.gob.bo/fotografias/2018/06/20/0002.jpg

A.C. Ferreira - Colaborador Voluntário

Mestre e especialista em relações internacionais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), especialista em Política e Estratégia pelo programa da ESG (UNEB, ADESG/BA), bacharel em Administração pela Universidade Católica do Salvador (UCSal). Consultor e palestrante de Comércio Exterior.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!