LOADING

Type to search

Exército Sírio retoma controle de rota chave que abastece Aleppo

Share

Na última quarta-feira, 4 de novembro, a televisão estatal síria informou que forças do Exército Sírio recuperaram o controle de uma estrada a sudeste de Aleppo, retomando o domínio da única rota de abastecimento do Governo à cidade[1]. A estrada, que sai de Aleppo e atravessa as cidades de Khanaser e Ithriya e, mais ao sul, liga-se às cidades de Hama e Homs, havia sido capturada pelo autoproclamado Estado Islâmico no mês passado[2]

O grupo de acompanhamento do Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com base no Reino Unido, confirmou o relatório da agência estatal[1]. Essa estrada é uma rota de suprimentos do Exército para partes ocidentais de Aleppo, ainda controladas pelo Governo. Os setores a leste e nordeste de Aleppo estão sob domínio do ISIS. Ressalte-se, ainda, que a cidade abriga cerca de 2 milhões de pessoas e, uma vez centro comercial e industrial da Síria, era a mais povoada do país, até o início dos conflitos, em 2011[1][2]

O Estado Islâmico do Iraque e de ElSham declarou no mês passado ter dominado a maioria dos postos de controle do Exército Sírio na estrada e ter apreendido grandes esconderijos de munição de postos avançados do Exército na área[1][3].  O corte da única rota de suprimentos do Exército para a metade ocidental de Aleppo teria causado aumentos acentuados nos preços de produtos básicos[2].

As áreas ao redor de Aleppo vêm registrando semanas de combates pesados ​​depois que tropas sírias, apoiadas por combatentes do Hezbollah e do Irã, lançaram uma ofensiva para retomar dos jihadistas o território em torno de Aleppo. A ofensiva tem se concentrado até agora em recuperar áreas controladas pelos insurgentes ao sul de Aleppo[1][3]. A paisagem rural ao redor da cidade é controlada por um misto de grupos armados, incluindo rebeldes moderados e islamistas radicais – como o ISIS e seu rival também extremista, a Frente Nusra, filiada da AlQaeda[4]

O ataque à rota de Aleppo foi um dos vários ataques realizados por forças terrestres pró-governo, desde que jatos russos começaram a realizar ataques aéreos em 30 de setembro, em apoio ao presidente Bashar alAssad. Tropas sírias também estão tentando avançar a leste de Aleppo, em direção ao Aeroporto Militar de Kweires, com o objetivo de romper um cerco à Base, que é mantido pelo ISIS e por outros insurgentes[1][3].

 O Estado Islâmico posteriormente lançou ataques contra posições do Governo em torno da cidade de Safira, na zona rural a sudeste de Aleppo. Também houve relato de conflitos no sul, ao redor das cidades de Khanaser e Ithriya[2]. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos informou que intensas batalhas ainda ocorrem no sul Aleppo, a cerca de 12 km da cidade[5]. Na quarta-feira, dia 4, a televisão estatal informou que as unidades do Exército haviam recuperado o controle da estrada, “depois de eliminar uma série de terroristas Daesh[2], e que iriam reabri-la na quinta-feira, pela manhã.

Protestos contra o Governo de Bashar alAssad, em inícios de 2011, se transformaram em uma guerra civil sangrenta e, há quatro anos, o cenário se arrasta em um impasse. O Exército leal ao Presidente sírio, o Estado Islâmico, uma diversidade de grupos rebeldes sírios, mais ou menos radicais, e combatentes curdos do Exército Peshmerga lutam em território sírio sob bombardeio da coalizão, tanto ocidental e do golfo, quanto russa. Mais de 250.000 sírios foram mortos e um milhão foram feridos. Outros cerca de 11 milhões (metade da população síria de 22,16 milhões, em 2014[6]) foram forçados a deixar suas casas, dos quais quatro milhões fugiram para o estrangeiro – incluindo números crescentes que se lançam em perigosos trajetos em direção à Europa[2].

———————————————————————————————-

Imagem Soldados sírios na periferia leste da cidade síria de Aleppo, ao norte do país, em 21 de outubro de 2015” (Fonte AFP / GEORGE OURFALIAN):

http://www.dailystar.com.lb/News/Middle-East/2015/Oct-24/320110-syria-army-battles-to-retake-aleppo-supply-line-from-isis.ashx

———————————————————————————————-

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://english.alarabiya.net/en/News/middle-east/2015/11/04/Syrian-army-regains-control-of-Aleppo-supply-route-.html

[2] Ver:

http://www.bbc.com/news/world-middle-east-34720597

[3] Ver:

http://uk.reuters.com/article/2015/11/04/uk-mideast-crisis-syria-aleppo-idUKKCN0ST1AV20151104

Ver Também:

https://www.dailystar.com.lb/News/Middle-East/2015/Nov-04/321563-syria-army-reopens-road-to-govt-held-parts-of-aleppo.ashx

[4] Ver:

http://www.dailystar.com.lb/News/Middle-East/2015/Oct-24/320110-syria-army-battles-to-retake-aleppo-supply-line-from-isis.ashx

[5] Ver:

http://english.chinamil.com.cn/news-channels/international-military-news/2015-11/04/content_6754739.htm

[6] Ver:

http://www.worldbank.org/en/country/syria

Natalia Nahas Carneiro Maia Calfat - Colaboradora Voluntária

Doutoranda e mestre pelo programa de Ciência Política da USP e diretora de Relações Internacionais do Icarabe, Instituto da Cultura Árabe. Possui bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo e pós-graduação em Política e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP). É integrante do Grupo de Trabalho sobre Oriente Médio e Mundo Muçulmano na Universidade de São Paulo (GT OMMM).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!