LOADING

Type to search

Islândia ameaça boicotar a Copa do Mundo de Futebol na Rússia

Share

O Governo da Islândia considera boicotar a Copa do Mundo de Futebol que acontecerá na Rússia, em 2018. O motivo é demonstrar solidariedade ao Reino Unido sobre a morte do ex-agente duplo Sergei Skripal, e de sua filha Yulia, na cidade de Salisbury, os quais, conforme vem sendo noticiado, foram envenenados no início deste mês (março). Além disso, de acordo com as manifestações das autoridades, também querem demonstrar insatisfação com o acontecimento.

Em meio ao trágico incidente, emerge a especulação de que as vítimas vieram a óbito por causa do agente nervoso novichok, produzido na antiga União Soviética e na Rússia, no período de 1971 a 1993. Sobre o caso, a Primeira-Ministra do Reino Unido, Theresa May, culpou os russos, apesar de as investigações não terem sido concluídas.

Selo da Copa do Mundo na Rússia

O jornal Icenews trouxe a afirmação do Primeiro-Ministro islandês, Gudlaugur Thor Thordarson, sobre a pauta: “Este foi um evento sério que não afeta apenas ao povo britânico. Precisamos discutir onde nós (o governo) iremos daqui e conversar com nossos aliados. Nenhuma decisão foi tomada em relação aos parlamentares islandeses que participarão ou não da Copa do Mundo. Ainda estamos discutindo o assunto com nossos aliados para ver qual será nossa reação”.

Em reação à ameaça de boicote, o jornal Gazeta apresentou a declaração do parlamentar e membro do Comitê de Cultura Física, Desporto, Turismo e Juventude da Duma*, Dmitry Svishchev, o qual afirmou que a Islândia está apoiando o Reino Unido por interesse: “A Islândia é um país pequeno, mas orgulhoso. No entanto, ainda está sob a proteção invisível e protetorado da Grã-Bretanha. Existem poderosos laços culturais, empresariais e políticos. Portanto, não é de surpreender que a Islândia reaja rapidamente às reações de seu vizinho. Não descarto que a declaração do Estado tenha sido feita a pedido do lado britânico”.

Os analistas entendem que existe algo de obscuro no caso Skripal, o qual deve ser investigado pelas autoridades britânicas, entretanto, no cenário do Reino Unido, as provas podem ser inconclusivas e, dessa forma, acarretarem em constrangimentos. Apontam ainda que, no cenário islandês, seguir o boicote ao Mundial de Futebol poderia tornar-se um negócio difícil para a promoção dos interesses do Estado no exterior, que também estreia neste campeonato.

———————————————————————————————–                    

Nota:

* A Duma é a Câmara Baixa do Congresso da Federação Russa, correspondendo à Câmara dos Deputados no Brasil.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Mapa e bandeira da Islândia” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/9/99/Flag-map_of_Iceland.svg/1024px-Flag-map_of_Iceland.svg.png

Imagem 2 Selo da Copa do Mundo na Rússia” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/c4/Stamp_of_Russia_2017_No_2296_2018_FIFA_World_Cup_mascot.jpg

 

Bruno Veillard - Colaborador Voluntário Júnior

Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia e Política (PPG-SP), e Bacharel em Relações Internacionais pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro vinculado a Universidade Cândido Mendes (IUPERJ/UCAM). Atua na produção de notas analíticas e análises conjunturais na área de política internacional com ênfase nos países Nórdico-Bálticos e Rússia.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.