LOADING

Type to search

Israel e Hamas à beira de mais um enfrentamento militar

Share

Os mais recentes acontecimentos oriundos a partir da Faixa de Gaza fizeram aumentar a tensão entre Israel e o Hamas. Nos últimos dias foram lançadas dezenas de rockets em direção ao sul de Israel e, na quinta-feira passada, dia 3 de julho, as cidades de Beersheba, Eshkol e Sha’ar Hanegev estiveram sob intensos disparos, praticamente durante todo o dia[1].

No domingo, dia 6, a continuidade do lançamento de rockets sobre o território israelense levou a uma ação das Forças de Defesa de Israel (IDF) sobre Gaza, matando 9 pessoas, dentre as quais 7 são combatentes do Hamas que se encontravam na cidade de Rafah, na fronteira com o Egito. Tal acontecimento não passou despercebido ao partido palestino que, através de seu porta-voz, Sami Abu Zuhr, advertiu Israel que esta “é uma escalada grave e o inimigo pagará caro[2]. Porém, uma fonte militar informou que os combatentes do Hamas não morreram em consequência do ataque aéreo israelense, mas a partir da detonação de explosivos existentes num túnel subterrâneo, que tinha sido encontrado pelas IDF há poucos dias, sendo o alvo dos explosivos as próprias IDF.

Segundo a fonte, “na noite passada, por razões que não são claras, o Hamas resolveu manusear os explosivos. Eles trataram as bombas que se encontravam no túnel e estavam prontas para serem lançadas contra alvos militares. Os artefatos explodiram fazendo as sete vítimas[3].

A tensão entre Israel e o Hamas aumenta à medida que os últimos acontecimentos se somam às atividades dos grupos insurgentes em Gaza. As Brigadas Ezzedeen al-Kassam, a ala militar do Hamas, assumiram a responsabilidade pelo lançamento de cerca de 100 rockets contra o sul de Israel, durante a noite de 7 de julho, estendendo o alvo para as áreas de Rehovot e Beit Shemesh[4].

Para além do Hamas, outros grupos militantes palestinos também reivindicaram a autoria do lançamento de rockets. Dentre eles, encontram-se as Brigadas de Resistência Nacional, o braço militar da Frente Democrática para a Libertação da Palestina; as Brigadas al-Mujahadin, uma ala militar independente; as Brigadas al-Nasser Salah al-Deen e as Brigadas dos Mártires de al-Aqsa, o braço armado do Fatah, que, até o último domingo, 6 de julho, tinham disparado 35 rockets em direção ao sul de Israel[5].

No momento, Israel e a Palestina estão envolvidos em problemas que tendem a aumentar à medida que os ataques se tornam mais acirrados. Isto está acorrendo quando os ânimos se encontram exaltados em consequência da morte de Mohammed Abu Khdeir, um palestino de 16 anos que a polícia israelense acredita ter sido levada a cabo por extremistas judeus em represália ao sequestro e a morte de três adolescentes judeus – Naftali Frenkel, Gilad Shaar e Eyal Yifrach[6], cuja acusação recai sobre o Hamas.

As tensões de diferente natureza estão elevadas e os riscos de embates mais fortes não podem ser descartados, assim como a escalada da violência entre os dois povos. Os últimos acontecimentos apontam para a necessidade de haver prudência de ambos os lados, para se conseguir evitar a generalização das atividades que colocam em risco, inicialmente, as populações de Israel e da Faixa de Gaza e, posteriormente, a da Cisjordânia, o que implicaria a generalização das ações militares israelenses em todos os territórios palestinos.

———————————————————

Imagem Iron Dome’ israelense dispara um míssil contra um Rocket Grad lançado desde a Faixa de Gaza” (Fonte):

https://www.vosizneias.com/wp-content/uploads/2012/11/h_50596942.jpg

———————————————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.jpost.com/Defense/IAF-strikes-Gaza-in-response-to-continuous-rocket-fire-361586

[2] Ver:

http://actualidad.rt.com/actualidad/view/133284-hamas-israel-ataques-venganza

[3] Ver:

http://www.jpost.com/Defense/IAF-strikes-Gaza-in-response-to-continuous-rocket-fire-361586

[4] Ver:

http://www.jpost.com/Middle-East/Hamas-claims-responsibility-for-rocket-fire-on-Israel-361830

[5] Ver:

http://www.maannews.net/eng/ViewDetails.aspx?ID=710597

[6] Ver:

http://www.haaretz.com/news/diplomacy-defense/1.603472

Marli Barros Dias - Colaboradora Voluntária Sênior

Possui graduação em Filosofia (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Federal do Paraná (1999), com revalidação pela Universidade de Évora (2007), e mestrado em Sociologia (Poder e Sistemas Políticos) pela Universidade de Évora (2010). É doutoranda em Teoria Jurídico-Política e Relações Internacionais (Universidade de Évora). É professora da Faculdade São Braz (Curitiba), pesquisadora especialista do CEFi – Centro de Estudos de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa), e pareceirista do CEIRI Newspaper (São Paulo).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!