LOADING

Type to search

Judeus ucranianos temem por sua segurança após provocações anônimas

Share

Líderes da comunidade judaica da região de Donetsk, Ucrânia, afirmaram ter recebido panfletos intimidadores após uma das cerimônias de celebração do Pessach, comumente conhecida como “Páscoa Judaica”, que dura uma semana. Segundo testemunhas, os panfletos, com nomes e insígnias da República Popular de Donetsk”, diziam que os judeus da região deveriam se apresentar aos prédios da administração local com seus passaportes, um histórico familiar, uma lista de posses e pagar o equivalente a cinquenta dólares para uma taxa de recadastramento. Segundo as ordens, os que não cumprissem a determinação poderiam ser deportados[1].

A história não foi imediatamente levada a sério pela comunidade judaica da região. De acordo com Yaguda Kellerman, chefe do “Centro Comunitário Judaico de Donetsk”, em entrevista ao jornal “National Public Radio”: “Não acredito nisso. Tem que ser um imbecil para escrever esse tipo de coisa. Você pode andar pelas ruas de barba e com um kipá e não sofrer problemas. Eu nasci em Donetsk[2]. Mesmo com a legitimidade contestada, a mensagem se tornou assunto de diversos jornais internacionais, gerando reações até mesmo do “Secretário de Estado dos Estados Unidos”, John Kerry. Em uma declaração para a imprensa, o secretário disse que: “no ano de 2014, depois de tudo que se passou na jornada da história, isto não é apenas intolerável, é grotesco. É além do aceitável[3].

A região de Donetsk foi tomada por ativistas que pleiteiam a anexação da região pela Rússia no início do mês de abril. Acusações de que tais grupos são politicamente alinhados a movimento fascistas foram veiculadas por políticos e simpatizantes do governo que sucedeu o presidente deposto Viktor Yanukovych. O chefe dos separatistas, Denis Pushilin, negou qualquer conexão com os panfletos antissemitas.

Ainda que não se saiba a real origem dos panfletos, sua distribuição causa mal-estar em uma região que sofreu com a Segunda Guerra Mundial”. Aproximadamente quatro milhões de ucranianos foram mortos durante a ocupação do país pelas tropas nazistas, sendo que por volta de novecentos mil eram cidadãos de origem judaica.

O desconforto com a situação é evidente na fala de Olga Reznikova, membro da comunidade judaica de Donetsk. Em entrevista ao jornal israelense Ynet, ela afirmou: “não sabemos se o panfleto foi distribuído pelas forças pró-Russia ou por outros, mas causou medo. Me lembra de textos de tempos sombrios. Conversei com outros membros da comunidade que não estão com medo, mas é uma situação desagradável. Não tenho intenção de me registrar, tenho trinta e dois anos, vivi aqui por toda a minha vida e nunca lidei com antissemitismo antes de ter contato com este pedaço de papel. Mesmo levando a sério, duvido que seja autêntico[4].

Agrava-se a situação com um episódio ainda não confirmado: segundo relatos, uma sinagoga na cidade de Nikolayev foi atacada com coqueteis molotov durante a manhã de sábado, 19 de abril[5]. A situação se junta a temores das comunidades judaicas na Europa, causados pela ascensão política de partidos ligados à extrema-direita[6]. O Rabino da região, Pinchas Vyshetsky, declarou: “Peço aos líderes políticos da Ucrânia que nos deixem em paz. Não somos uma organização política. Somos uma comunidade religiosa e as pessoas que vem à sinagoga não vieram para uma reunião política[7].

————————

Imagem (Fonte):

https://images1.ynet.co.il/PicServer4/2014/04/16/5274748/52747430100346640360no.jpg

————————

Fontes consultadas:

[1]Ver:

http://www.washingtonpost.com/national/religion/jews-ordered-to-register-in-east-ukraine/2014/04/17/cb35b83a-c65b-11e3-b708-471bae3cb10c_story.html

[2] Ver:

http://www.npr.org/2014/04/18/304534528/leaflets-given-to-donetsk-jews-made-waves-worldwide-but-not-in-donetsk

[3] Ver:

http://www.usatoday.com/story/news/world/2014/04/17/jews-ordered-to-register-in-east-ukraine/7816951/

[4] Ver:

http://www.ynetnews.com/articles/0,7340,L-4510688,00.html

[5] Ver:

http://www.haaretz.com/jewish-world/jewish-world-news/1.586509

[6] Ver:

http://jornal.ceiri.com.br/ressurgimento-do-antissemitismo-e-da-extrema-direita-na-europa-preocupa-liderancas-judaicas/

[7] Ver:

http://www.npr.org/2014/04/18/304534528/leaflets-given-to-donetsk-jews-made-waves-worldwide-but-not-in-donetsk

Leonel Victor Soares Caraciki - Colaborador Voluntário

Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social - UFRJ. Realiza Especialização em Relações Internacionais pela PUC-RJ.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.