LOADING

Type to search

Lagarde alerta para emergência no combate à crise que se avizinha

Share

A diretora-gerente do “Fundo Monetário Internacional” (FMI), Cristine Lagarde, alertou ontem, dia 15 de setembro, durante um discurso feito no “Woodrow Wilson Center”, em Washington (DC), que as principais economias mundiais devem agir rapidamente para conseguir fazer frente a “Crise Econômica” que se avizinha, para a qual as saídas são menores e a recuperação será mais difícil quando ela ocorrer.

 

A explicação para tanto é que os problemas de crescimento econômico e balança de orçamentos das grandes economias, associados ao ainda não corrigido sistema financeiro internacional e a falta de articulação nas respostas dos países no sistema internacional está gerando falta de confiança tanto dos consumidores, quanto dos investidores, produzindo ainda como resultado a redução dos empregos. Ou seja, está sendo gerado um círculo vicioso que só se encerrará com uma resposta imediata ou com a quebra da economia internacional.

Nas palavras de Lagarde: os problemas citados estão “alimentando uma crise de confiança e retendo a demanda, investimentos e a criação de empregos. Este ciclo vicioso está ganhando força e, francamente, tem sido exacerbado pela indecisão política e pela disfunção política” *

Lagarde também apresentou a saída para a evitar, ou enfrentar a Crise: (1) inicialmente, os Bancos da Europa devem aumentar seus colchões de capital; (2) os governos da “Zona do Euro” e dos EUA precisam traçar caminhos para reduzir suas dívidas; (3) os paises devem articular uma resposta coletiva para corrigir o sistema financeiro internacional e (4)  os principais mercados emergentes devem aumentar a demanda.

Analistas apontam que, no limite, o caminho apontado por Lagarde é Ortodoxa, mantendo a visão das grandes economia como fornecedoras e os mercados emergentes (antigamente chamados de “terceiro mundo”) como destino da produção industrial dos grandes Estados. No entanto, observadores afirmam que, apesar desta constatação, a quebra das grandes economias significaria a destruição geral do sistema mundial atual, o que obriga a aceitar a fórmula apresentada como sendo uma alternativa que pode evitar o caos mundial que está sendo previsto para breve, mesmo porque a estrutura da economia internacional e das relações internacionais contemporâneas são diversas daquela quando se usava a terminologia de Primeiro, Segundo e Terceiro mundos.

———–

* Fonte:

http://www.dgabc.com.br/News/5913819/lagarde-cobra-acao-rapida-contra-nova-crise-global.aspx

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!