LOADING

Type to search

Lançamento do Livro Branco delineando a política oficial da China para a segurança da Ásia e do Oceano Pacífico

Share

A China lançou o Livro Branco delineando a sua política oficial de segurança para a Ásia e o Oceano Pacífico, regiões que compõem o espaço de maior relevância para o exercício da influência chinesa. O Documento menciona a visão de que o desenvolvimento econômico e a cooperação para ganhos mútuos são aspectos interligados e constituem a base para a segurança internacional. Estes são valores comumente propagados pela China nos seus documentos de Estado.

Imagem simbólica acerca da segurança

Existem tópicos específicos abordando as relações da China com os EUA, com a Rússia, com a Índia e com o Japão, importantes atores na região. O Documento demonstra a crescente vontade do país de contribuir como provedor de segurança, sobretudo em uma conjuntura na qual os Estados Unidos (EUA) parecem estar retraindo sua influência global com o objetivo de focar no seu desenvolvimento doméstico.

Entre os principais pontos do Livro Branco encontram-se os seguintes temas: 1) assistência e auxílio no caso de desastres naturais; 2) cooperação no combate ao terrorismo; 3) cooperação para o combate aos crimes transnacionais; 4) cyber segurança, ou segurança do espaço digital; 5) cooperação para a segurança marítima comum; 6) cooperação para a não-proliferação e desarmamento nuclear.

Chefe de Estado da China Xi Jinping

O Documento enfatiza que o processo de ascensão e rejuvenescimento da nação chinesa é inclusivo, no sentido de que o país pretende contribuir para o desenvolvimento e o bem público dos seus vizinhos. Existem tópicos específicos tratando sobre a cooperação da China com organismos multilaterais, tais como a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e a Organização para a Cooperação de Xangai (OCX). Menciona-se igualmente o estímulo à Nova Rota da Seda (Belt and Road Initiative), que é a principal iniciativa de política externa do governo do atual mandatário chinês, Xi Jinping.

A China é atualmente a maior economia da Ásia com um PIB nominal de US$ 11 trilhões de dólares, não obstante, nos curto e médio prazos, a influência norte-americana sob este espaço geoestratégico continuará a ser um importante fator atuando sobre as dinâmicas regionais. Desta forma, os Estados locais poderão aproveitar a oportunidade apresentada pela crescente presença chinesa de modo a promover barganhas com os dois gigantes, podendo exercer o que se denomina por vezes de diplomacia triangular, visando alcançar os seus próprios interesses.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Imagem do globo centrada na Ásia” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/File:Asia_on_the_globe_(Asia_centered).svg#/media/File:Asia_on_the_globe_(Asia_centered).svg

Imagem 2 Imagem simbólica acerca da segurança” (Fonte):

https://pxhere.com/en/photo/989227

Imagem 2 Chefe de Estado da China Xi Jinping” (Fonte):

https://www.flickr.com/photos/[email protected]/14600932347

Ricardo Kotz - Colaborador Voluntário

Mestrando no programa de Pós Graduação em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), atuando na linha de Economia Política Internacional. Possui especialização em Estratégia e Relações Internacionais Contemporâneas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Agente consular junto ao Consulado Honorário da França em Porto Alegre, atuando paralelamente no escritório RGF Propriedade Intelectual, no período de 2013-2015.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.