LOADING

Type to search

Líbia começa a excluir parceiros na exploração do petróleo

Share

O Governo interino líbio começou a realizar a exclusão das empresas que tinham investimentos diretos no país para a exploração de petróleo. Uma italiana e outra francesa passam por processo de investigação do relacionamento com o antigo regime e de favorecimentos recebidos pelo governo de Muammar Kadhafi.

 

Segundo informações do “The Wall Street Journal” e da “Dow Jones”, disseminadas pela “Exame.com”* as avaliações estão sendo feitas nos EUA e na procuradoria geral da Líbia sobre “irregularidades financeiras”* realizadas por “operadores líbios e estrangeiros na Líbia”*.

O inquérito sobre corrupção pode levar ao cancelamento dos contratos, além do pagamento de multas, algo que afetará os investimentos com grandes perdas para estas corporações, em especial para a ENI que  era a maior operadora na época de Kadhafi, com 14% da quota de exploração**.

Independente da alegação de corrupção para realizar a exclusão de empresas que operavam em parceria com o Governo anterior, os analistas apontam que este era um processo esperado e afirmam que outras operadoras serão excluídas, havendo convergência das opiniões de que os fatores alegados variarão, pois o principal mote será o vínculo com os antigos mandatários e, principalmente, a forma como os países de onde tais empresas originam se relacionou com os rebeldes e com a revolução.

Por essa razão estão esperando como será o comportamento em relação aos russos que tinham grande interesses e parcerias comerciais no país, principalmente no mercado de armamentos.

——————————–

Fontes:

* Ver:

http://exame.abril.com.br/economia/politica/noticias/petroliferas-sao-acusadas-de-ligacao-com-regime-libio-2

** Ver:

http://expresso.sapo.pt/inquerito-libio-ameaca-petroliferas-europeias=f718038

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!