LOADING

Type to search

Maduro e aliados no Governo estimulam delação política dentro do PSUV

Share

O presidente venezuelano Nicolás Maduro e demais membros do Governo da Venezuela estão estimulando a delação entre os membros do Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV), segundo apontam, para impedir a infiltração de opositores que tenham como missão destruir a continuidade na implantação do socialismo no país.

Para tanto, foi criado um canal telefônico para a delação desses supostos infiltrados, por meio de sms, e um e-mail por onde poderão ser feitas as denúncias daqueles que os delatores considerarem infiltrados, que também estão sendo denominados como indivíduos que vem se afastando dos princípios da Revolução Bolivariana.

Francisco Ameliach, vice-presidente de Organização e Assuntos Eleitorais do PSUV e Governador de Carabobo,  usou sua conta no Twitter para  informar os canais. Postou: “el militante que esté fomentando la desunión debe ser denunciado a través de: [email protected], y vía sms (mensajes) al 0416-9425792[1], declarando ainda que “el enemigo que más nos hace daño es el enemigo interno, el infiltrado, el quinta columna, el que se disfraza de chavista y no es chavista[1][2]. Com isso, mostra que se pretende realizar uma “limpeza” na base governamental, a começar pelo Partido.

A forma como as autoridades vem se manifestando confirmam que a preocupação é intensa e não se exclui a possibilidade de expurgos em outros ambientes. Como apresentado antes, Francisco Ameliach referiu-se a uma “quinta coluna” e Diosdado Cabello, primeiro vice-presidente do PSUV e Presidente da Assembleia Nacional Bolivariana, declarou: “los saboteadores de la revolución. (…). No podemos permitir (…) escuálidos, infiltrados en los organismos del Estado como jefes, y otros que tenemos chavistas de la boca para afuera, que son peores a veces que los propios escuálidos[1], reforçando as declarações de várias lideranças no país de que são traidores, dissidentes, rebeldes.

Apesar de a maioria de os governantes declararem que tal medida surge da necessidade de garantir unidade em relação ao Partido e se aplica apenas aos seus membros, tal qual Nicolás Maduro afirmou ser necessário que os membros do PSUV digam “de qué lado están[2], acreditam os observadores que a estrutura montada será utilizada para criar o clima de delação em esferas públicas, instituições e Órgãos governamentais para a denúncia de cidadãos que possam ser críticos em relação ao Governo, os quais serão considerados traidores da Revolução, podendo ser aplicadas a eles medidas específicas, por Leis criadas com este fim e justificadas pela necessidade de haver continuidade no processo de implantação do socialismo chavista, validadas para a eficácia administrativa e para a defesa das alegadas conquistas do Regime. Ou seja, acreditam os observadores que a estrutura montada certamente será usada para perseguição de opositores do Regime que precisam estar sob a mira do Governo

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

 http://www.libertaddigital.com/internacional/latinoamerica/2014-11-15/maduro-busca-infiltrados-y-traidores-dentro-del-chavismo-1276533537/

—————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.libertaddigital.com/internacional/latinoamerica/2014-11-15/maduro-busca-infiltrados-y-traidores-dentro-del-chavismo-1276533537/

[2] Ver:

http://diariodecaracas.com:8080/politica/abc-maduro-abre-linea-telefonica-delatar-traidores-en-el-chavismo

—————————————————————————

Ver também:

http://elescrutinio.com/nicolas-maduro-abre-una-linea-telefonica-para-delatar-a-traidores-en-el-chavismo/

Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta