LOADING

Type to search

Marinha argentina confirmou explosão de submarino desaparecido

Share

No dia 23 de novembro, quinta-feira passada, onze dias após o desaparecimento do submarino ARA San Juan, o porta-voz da Marinha Argentina, Enrique Balbi, afirmou que foi detectado um ruído consistente com uma explosão na zona onde ocorreu o último contato com a embarcação. O San Juan, que permanece desaparecido, tinha uma tripulação de 44 marinheiros e havia esperança de que fossem encontrados com vida e resgatados. A detecção e análise do ruído foi feita pela Organização de Controle de Testes Nucleares (CBTTO, na sigla em inglês) e transmitida à Argentina por meio de Rafael Grossi, embaixador do país na Áustria.

O presidente Maurício Macri afirmou que não se deve buscar culpados e que o submarino estava em condições perfeitas para navegar. Contudo, o incidente gerou desconforto e constrangimento político no Ministério da Defesa e na cúpula das Forças Armadas do país. O jornalista Werner Pertot, do periódico Página 12, prevê que o comandante da Marinha será substituído, mas que o Ministro da Defesa, Oscar Aguad, tem possibilidade de permanecer no cargo, principalmente por sua proximidade pessoal e política com Macri.

O submarino ARA San Juan é um modelo TR 1700, fabricado pela companhia alemã Thyssen-Krupp Nordseewerke GMBH, que foi adquirido pela Argentina em 1985. A procura gerou importante mobilização internacional. Brasil, Estados Unidos, Reino Unido, Chile, França, Alemanha, Peru, entre outros países, mobilizaram navios e aeronaves nas operações de busca. O Brasil enviou três embarcações e dois aviões para auxiliar nas buscas.

O anúncio da explosão gerou ressentimento entre os familiares das vítimas, que apontam que a embarcação circulava em condições precárias. O submarino havia passado por uma reforma a partir de 2009, durante os governos Cristina Kirchner, com ajuda técnica proveniente da Alemanha e com o objetivo de aumentar a sua vida útil. De qualquer maneira, permanecem dúvidas sobre as suas condições de navegação.

A deputada e ex-ministra da Defesa, Nilda Garré, requisitou que Oscar Aguad apresente-se para dar explicações no Congresso sobre como a manutenção do submarino foi feita nos últimos dois anos. O Governo, por sua vez, afirma que investigará o ocorrido. Há receios de que tenha havido negligência por parte do Ministério da Defesa e da liderança das Forças Armadas, o que transparece também a precariedade dos equipamentos militares argentinos, que necessitam de renovação.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Submarino ARA San Juan” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Submarino_ARA_San_Juan_(33866567363).jpg

Livia Milani - Colaboradora Voluntária

Mestre e doutoranda em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais "San Tiago Dantas" (UNESP,UNICAMP, PUC-SP) e graduada em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista - UNESP. Participa do Grupo de Estudos em Defesa e Segurança Internacional (GEDES/UNESP). Pesquisa principalmente nos seguintes temas: Segurança Regional, Política Externa, Integração Regional, Relações Brasil-Argentina, cooperação em Defesa na América do Sul, Relações Inter-americanas.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!