LOADING

Type to search

Medidas governamentais de atenuação dos efeitos da seca em Cabo Verde

Share

Cabo Verde enfrenta um período de estiagem severa que se prolonga desde o início deste ano (2017). Os efeitos da seca compreendem todas as ilhas e os níveis baixos de precipitação correspondem a 30% do acumulado de 2016, caracterizando o período como uma das maiores secas registradas. Somada à característica climática semiárida do arquipélago, no qual os períodos das chuvas abarcam apenas alguns meses do ano (julho a outubro), as consequências da escassez de água têm impactado na produção agropecuária e acentuam a insegurança alimentar da população. 

Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia da Silva

O Ministério de Agricultura e Ambiente estima que 70 mil pessoas serão afetadas de alguma forma pelos efeitos da seca, mais especificamente nos municípios da Ilha de Santigo, que conservam a agropecuária como atividade econômica principal.

Em decorrência destes fatores, o que está sendo denominado como mau ano agrícola, o Governo cabo-verdiano lançou um Plano Emergencial que despenderá 8 milhões de euros em programas que englobam, entre outros aspectos, meios para garantir o rendimento das famílias e a isenção de taxas e impostos sobre a compra de alimentação animal.

O Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia da Silva, anunciou o Plano durante uma visita ao interior de Santiago, no dia 10 de novembro de 2017, e salientou a necessidade de manter a calma em um momento de dificuldades. Para tanto, Ulisses enumerou as ações que já estão em processo de implementação, tais como a ampliação de linhas de crédito para os produtores.

Tendo em consideração a vulnerabilidade que um país insular enfrenta em termos de fenômenos naturais, o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, considera relevante a criação de um fundo de resposta a situações semelhantes a enfrentada atualmente e a outros fenômenos comuns a Cabo Verde, como furacões, o processo de desertificação e as ações vulcânicas.

Cabo Verde contará também com apoio Internacional para superar os efeitos da seca. A Embaixada dos Estados Unidos manifestou a intenção de disponibilizar um auxílio por meio de seu Fundo de Assistência Internacional para Desastres, no valor de 50 mil dólares. Igualmente, o Fundo das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) está estudando a possibilidade de disponibilizar recursos para apoiar o país, assim como os demais Estados insulares e seus desafios. A forma de contribuição sugerida são projetos de Cooperação Técnica, os quais ainda serão discutidos com o Governo cabo-verdiano.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Localização de Cabo Verde” (Fonte):

https://d2z7bzwflv7old.cloudfront.net/cdn_image/exW_1200/images/maps/en/cv/cv-area.gif

Imagem 2 PrimeiroMinistro de Cabo Verde, Ulisses Correia da Silva” (Fonte):

https://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/wp-content/uploads/2017/01/jose-ulisses-cape-verde.jpg

Lauriane Aguirre - Colaboradora Voluntária

Bacharela em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA). Dentre as áreas de interesse encontram-se Cooperação Técnica Internacional e Segurança Internacional. Como colaboradora do CEIRI Newspaper escreve sobre o continente africano, mas especificamente os países de língua portuguesa.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.