LOADING

Type to search

Share

Os mexicanos devem ir às urnas em 1º de julho deste ano para eleger um, dentre os três candidatos à Presidência do país, cansados da violência, tráfico de drogas e impasses políticos que os assolam: “Há desilusão, desesperança, cansaço, incredulidade, distância e incerteza”*, escreve Guadalupe Loaeza, colunista do jornal diário Reforma.

 

Uma candidata é Josefina Vazquez Mota, que venceu as Primárias no partido do presidente em exercício, Felipe Calderón (PAN – “Partido Acción Nacional”) e não melhorou a situação do México.

O segundo candidato, Enrique Peña Nieto, é ex-governador do Estado do México e tenta se eleger pelo “Partido Revolucionário Institucional” (PRI), que existe desde o final da “Revolução Mexicana” e governou o país de 1929 até 2000.

Por fim, Andres Manuel Lopez Obrador é o candidato que perdeu as eleições para Calderón, por uma pequena diferença de votos.

—————-

* Ver:

http://www.washingtonpost.com/world/americas/3-mexican-presidential-hopefuls-vie-to-lead-a-country-that-is-weary-of-politics/2012/02/06/gIQABdFZuQ_story.html

Tags:

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.