LOADING

Type to search

Share

O governo brasileiro realizou uma série de movimentos para barrar as importações de diversos produtos, estando entre eles os automóveis. Após Brasília anunciar o aumento do IPI para os veículos e peças de automóveis vindas do exterior, algumas empresas chinesas repensaram seus planos de investirem no Brasil.

 

Desde o início de 2011 que as empresas chinesas “JAC Motors” e a “Chery” haviam anunciado seus planos de abrirem fábricas no Brasil, porém, após o aumento do imposto, repensaram suas intenções.

Destas duas grandes montadoras asiáticas, a JAC foi a que estava pronta a desistir dos investimentos no Brasil, porém, o presidente da montadora em território brasileiro, Sérgio Habib, confirmou que ela construirá uma fábrica na Bahia. Os planos são para 2014 e este empreendimento terá capacidade de produzir 100 mil unidades ao ano, com um investimento de 900 milhões de reais.

A Chery também confirmou o projeto de abertura de uma fábrica em solo brasileiro. A montadora mantém seus planos para suas instalações em Jacareí, no estado de São Paulo. Segundo nota à imprensa, “a empresa seguirá, sempre, as normas e determinações impostas pelo governo brasileiro, mesmo com a constatação de evidentes pontos de protecionismo injustificado no conteúdo da medida editada”*.

—————

Fontes:

* Estadão:

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,chinesa-chery-mantem-plano-de-instalar-fabrica-no-brasil,87192,0.htm

Ver Também: Folha SP

http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/sergio_habib-1.shtml

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.