LOADING

Type to search

Share

As mudanças climáticas podem chegar mais rápido do que esperado, assim diz o estudo da “Nature Climate Change”. Segundo o trabalho, os grandes poluidores, como China, Estados Unidos e Japão apresentam dados preocupantes.
Hoje, a China é o maior emissor de gases poluentes do mundo, superando os EUA. O país asiático já anunciou suas metas e objetivos de desenvolvimento sustentável, mas os dados liberados pelo “Departamento Nacional de Estatística da China”, tal qual ocorre com os divulgados por outros países, não tem informações 100% precisas, contendo significativa margem de erro.

Os autores do estudo na publicação “Nature Climate Change” declararam: “O fato triste é que os dados sobre energia e emissões da China como informação primária para os modelos vão acrescentar uma dose extra de incerteza em simulações para prever a mudança climática futura”*.

Segundo Dabo Guan, da “Universidade de Leeds”, e líder do grupo de análise sobre o tema, há uma diferença de 1,4 bilhão de toneladas de emissão de poluentes na China quando se compara o ano de 2010-2011.
O Estudo leva a conclusão de que, tanto na China, quanto em outros Estados, a imprecisão dos dados sobre emissão de poluentes gera grande incerteza para permitir a construção de cenários acerca das mudanças climáticas em um contexto global, já que todas as previsões existentes consideram os dados oficiais dos governos, tanto quanto os dados divulgados pelos grandes centros de pesquisas não governamentais.
———————-
Fontes:
VerPortal Terra”:

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5827727-EI314,00-Mudanca+climatica+pode+ser+mais+rapida+diz+estudo+chines.html
Ver também:

http://www.nature.com/nclimate/index.html

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!