LOADING

Type to search

Novamente, Coreia do Norte responsabiliza EUA pelas tensões na península coreana

Share

O Governo da “Coreia do Norte” emitiu uma nota oficial, republicada pela KCNA, acusando os “Estados Unidos” por agravarem as tensões na “Península Coreana”. Esse comunicado chega logo após estadunidenses e sul-coreanos realizarem exercícios militares com munição real, próximos da fronteira entre as duas Coreias.

 

No comunicado está detalhado que “A concentração bélica americana na Coreia do Sul é um prelúdio para uma guerra regional cuja meta não é só a Coreia do Norte, mas diversos países do nordeste asiático”*.

Enquanto Pyongyang emitia tal comunicado, o Presidente russo, Vladimir Putin, e o Presidente dos EUA, Barack Obama, em conversas paralelas na reunião do G-20, trataram do tema. Ambos apelam para que os norte-coreanos parem com seu “Programa Nuclear” e suas “Manobras Militares” que contribuem para o crescimento das tensões.

Embora esses vários líderes desejem a paz, o noticiário asiático gira em torno das consequências que podem resultar, caso o Pentágono aumente os seus armamentos na “Coreia do Sul”.

Na “Coreia do Norte”, muitas mídias comunicam que um crescimento militar estadunidense na região não seria apenas para atacar o seu país, mas também muitas outras nações que hoje não são aliadas de Washington.

—————–

Fontes:

* Ver:

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5842739-EI8143,00-Pyongyang+acusa+EUA+de+elevar+tensao+na+regiao+com+manobras.html

——

Ver também:

http://portuguese.ruvr.ru/2012_06_19/G20-cupula-Putin-Obama-encontro/

Ver também:

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=2616130

——

Ver ainda os comunicados em:

http://www.kcna.kp

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!