LOADING

Type to search

O avanço tecnológico e a insegurança da informação

Share

Desde o ano de 2010, muitas publicações sobre Hackers foram discutidas em Fóruns de tecnologia, jornais e em alguns casos quase se tornaram contenciosos diplomáticos. Até 2011 também vários artigos foram publicados tratando de hackers chineses invadindo sites do governo dos Estados Unidos, e-mails da Google e, desta maneira, se discutia sobre a segurança dos dados na web.

 

Contudo, os motivos de tantas invasões que vinham e continuam ocorrendo mantém-se obscuros.  Muitos casos foram de invasões de e-mails, principalmente das contas do Google, mas em contas de pessoas ou autoridades específicas sem serem citadas as razões de tais invasões, além da ocorrência de invasões de contas de redes sociais, como o Facebook e Twitter, onde está disponível grande gama de informações dos usuários, as quais servem como forma de trabalhar com um Marketing negativo para os donos das contas invadidas.

Apesar destas discussões, as invasões em sistemas operacionais não são tratadas, destacando-se que a Microsoft é detentora de mais de 50% do mercado mundial em sistemas operacionais.

Alguns analistas especulam que estas invasões seriam para promover os softwares livres, como o Linux, disputando uma “guerra” de informações e de segurança para apresentar ao consumidor qual sistema é o mais vantajoso e seguro, trabalhando para a venda de novos softwares e equipamentos que disponibilizem maior segurança para as empresas e usuários.

Hoje, no momento em que se destacam os smartphones e tablets, com a grande fama dos sistemas da Apple e da Google, que tem o seu Android, a invasão de privacidade e de informação de usuários se apresenta em cada aplicativo baixado nos “app stores” destas grandes empresas.

A integração entre vários aplicativos, sistemas operacionais e redes sociais apenas tornará mais difícil criar meios de segurança na rede, pois se no passado existia uma ou outra porta de entrada para se realizar a pirataria eletrônica, hoje existem várias janelas abertas, facilitando o processo.

Nesta semana a Folha de São Paulo publicou sobre um hacker que destruiu a vida digital de um repórter, acessando suas informações em seu iPad, seu MacBook e outros aparelhos sem sequer conseguir uma senha para o processo. De acordo com a matéria, ele se aproveitou da fragilidade da Amazon e da Apple em proteger os dados de seus usuários. 

Estas duas empresas, que detêm um grande banco de dados de pessoas físicas e jurídicas em todo o mundo, têm suas falhas e elas já foram descobertas, mas apenas a invasão de dados de cadastro não é o única preocupação dos usuários.

As gigantes da informática e tecnologia estão implantando o sistema denuvem”, o qual permite que qualquer usuário tenha um espaço nos servidores das empresas que oferecem o serviço, sem a necessidade de dispor de um “Disco Rígido” (HD) em seu laptop ou um cartão de memória em seu tablet ou smartphone. Com este novo sistema que está sendo implantado e com as falhas existentes nos grandes servidores, o sistema de nuvens poderá ser questionado pelos consumidores.

Diante de todos estes casos, mantém-se a questão acerca do motivo de tantas invasões no mundo digital. Levantam-se as hipóteses de espionagem industrial, política, assuntos pessoais entre grupos hackers, mas também poderia ser simplesmente um golpe publicitário contra as empresas que atuam em serviços e equipamentos para a atual tecnologia em “prevenir” o consumidor global das novas tecnologias que são oferecidas por poucas corporações. Independentemente do motivo de tantos ataques cibernéticos, o público continuará inseguro quando clicar em um link ou em um simples “like” na rede.

————————

Imagens:

[1] Um “Símbolo Hacker”, proposto por Eric S. Raymond (Wikipédia)

[2] Lgo da Microsoft, a partir de 2012 (Wikipédia)

[3] Tux, a mascote da Linux (Wikipédia)

[4] Logo da Apple (Wikipédia)

———————————-

Fontes:

Ver:

http://www1.folha.uol.com.br/tec/1136785-sem-violar-senha-hacker-destroi-vida-digital-de-reporter-saiba-como-se-proteger.shtml

Ver:

http://blogs.estadao.com.br/link/hackers-chineses-invadem-site-oficial-dos-eua/

Ver:

http://anonymousbrasil.com/google-dificulta-ainda-mais-a-pesquisa-de-conteudo-pirata/

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.